Busca avançada
Ano de início
Entree

Demarcações em crise: a segunda Revolução Científica e a ciência no Brasil oitocentista

Processo: 12/16899-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2012
Vigência (Término): 02 de setembro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Sociologia - Outras Sociologias Específicas
Pesquisador responsável:Leila da Costa Ferreira
Beneficiário:Marcelo Fetz de Almeida
Instituição-sede: Núcleo de Estudos e Pesquisas Ambientais (NEPAM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:08/58159-7 - Crescimento populacional, vulnerabilidade e adaptação: dimensões sociais e ecológicas das mudanças climáticas no litoral de São Paulo, AP.PFPMCG.TEM
Bolsa(s) vinculada(s):13/12895-2 - Estudos Sociais da Ciência: perspectivas sociológicas da demarcação social do conhecimento científico, BE.EP.PD
Assunto(s):Sociologia da ciência   Ciência, tecnologia e sociedade   Revolução científica   Brasil   Estudos interdisciplinares

Resumo

O "problema da demarcação", critério "objetivo" empregado por cientistas para a determinação da separação entre ciência e não-ciência (pseudo-ciência), tem sido constantemente criticado por sociólogos, antropólogos e filósofos da ciência, originando novas formas de interpretação para o envolvimento entre os diferentes discursos e agentes sociais responsáveis pelo desenvolvimento de práticas científicas. Este projeto de pesquisa, portanto, pretende contribuir com o estudo da "crise das demarcações" a partir da análise sociológica da influência da visão de mundo da Segunda Revolução Científica sobre a formação da ciência brasileira durante o século XIX (antecedentes culturais de uma atividade científica pré-institucional) para, na sequência, apresentar uma reflexão teórica acerca da interdisciplinaridade e integração dos diferentes programas de pesquisa científica e agentes sociais (cientistas, técnicos e políticos) que encontram-se na fronteira científica atual. Esse estudo deverá dar continuidade às reflexões apresentadas pelo projeto de Doutorado FAPESP No 08/54743-6, detalhando-se a importância das narrativas científicas de viagem cunhadas sob o horizonte da ciência romântica para a formação da ciência brasileira, bem como deverá contribuir com as preocupações científicas contidas no Projeto Temático FAPESP No 08/58159-7, ressaltando-se uma "sociologia dos interesses sociais", como princípio de estudo para o surgimento de demarcações científicas e seus desdobramentos na forma de uma divisão social do trabalho de pesquisa de qualidade epistemológica. Assim, em uma primeira etapa da pesquisa, propomos o estudo empírico (fontes primárias e secundárias) da influência da segunda revolução científica sobre os antecedentes culturais da formação pré-institucional da ciência no Brasil; em uma segunda etapa, propomos o estudo teórico da crise dos critérios de demarcação resultante da impossibilidade da defesa de um ponto de inflexão universal e a-histórico acerca das características do pensamento científico contemporâneo. (AU)