Busca avançada
Ano de início
Entree

Produção de nanobiomateriais à base de nanohidroxiapatita/nanotubos de carbono e policaprolactona

Processo: 12/19371-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2012
Vigência (Término): 30 de novembro de 2013
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia de Materiais e Metalúrgica - Materiais Não-metálicos
Pesquisador responsável:Anderson de Oliveira Lobo
Beneficiário:Joao Vitor da Silva Moreira
Instituição-sede: Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento (IP&D). Universidade do Vale do Paraíba (UNIVAP). São José dos Campos , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:11/17877-7 - Desenvolvimento de novos scaffolds poliméricos por eletrofiação com incorporação de nanotubos alinhados e nanohidroxiapatita para regeneração óssea, AP.JP
Assunto(s):Eletrofiação   Tecidos suporte   Nanotubos de carbono   Nanofibras   Eletrodeposição   Policaprolactona   Ósseointegração

Resumo

Este projeto apresenta uma nova metodologia para a fabricação de scaffolds poliméricos contendo nanopartículas incorporadas pela técnica de eletrofiação visando à regeneração óssea de tecidos. Através da metodologia proposta, serão utilizadas matrizes de nanotubos de carbono superhidrofílicos alinhados (VACNT) com cristais de nanohidroxiapatita (nHA) obtida pela técnica de eletrodeposição. Com isso, propõe-se a fabricação de scaffolds poliméricos nanofibrosos, tridimensionais com a exposição homogênea dos cristais de nHA para o crescimento ósseo. Os VACNTs serão produzidos pela técnica de deposição química via fase vapor assistida por microondas e funcionalizados utilizando plasma de oxigênio para a obtenção da sua superhidrofilicidade. Para a obtenção homogênea dos cristais de nHA sobre as superfícies dos VACNTs superhidrofílicos será utilizada a técnica de eletrodeposição. Os scaffolds nanofibrosos poliméricos serão fabricados utilizando a técnica de eletrofiação. Polímeros biorreabsorvíveis de policaprolactona serão utilizados como matrizes. Serão avaliados parâmetros para o processo de produção das nanofibras, tais como: tensão aplicada, distância do coletor e tensão superficial da solução polimérica. Para as caracterizações morfológicas e estruturais dos scaffolds produzidos serão utilizadas: microscopia eletrônica de varredura, energia dispersiva de raios-X, espectroscopia de Infravermelho e análise termogravimétrica. Como resultado espera-se obter um novo nanobiomaterial que acelere o processo de ósseointegração in vivo. (AU)