Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação do potencial antioxidante e quelante ao ferro de peptídeos da linhaça (Linum usitatissium L.)

Processo: 12/20492-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2012
Vigência (Término): 31 de outubro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Ciência de Alimentos
Pesquisador responsável:Flavia Maria Netto
Beneficiário:Eloisa Cristina Carmignola
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia de Alimentos (FEA). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Linhaça   Hidrolisados de proteína   Antioxidantes   Ferro

Resumo

O potencial bioativo de proteínas deve-se a determinadas sequências de aminoácidos, inativos na estrutura da proteína precursora, mas que, uma vez liberados mediante hidrólise enzimática, podem apresentar diferentes atividades biológicas. Estudos in vitro com hidrolisados proteicos de linhaça mostraram potencial antioxidante, anticolesterolêmico e antihipertensivo. Como agentes antioxidantes, peptídeos e aminoácidos podem atuar por diferentes mecanismos, entre eles, redução de espécies reativas do oxigênio ou quelação de metais de transição, como o ferro. O objetivo do projeto é avaliar o potencial quelante e antioxidante de produtos proteicos de linhaça marrom desengordurada com e sem lignana. Após o desengorduramento da farinha de linhaça com hexano, os concentrados proteicos serão obtidos por extração alcalina, precipitação no ponto isoelétrico seguida de neutralização. O hidrolisado proteico será produzido a partir da hidrólise do concentrado com Alcalase, em pH 8,5 e relação enzima substrato 1:90. Essas condições, obtidas em estudo anterior, foram as que produziram hidrolisados com alta atividade antioxidante. Para obtenção dos produtos sem lignana, principal composto fenólico da linhaça, será acrescentada uma etapa de extração com etanol após o desengorduramento da farinha de linhaça com hexano. As amostras serão caracterizadas por cromatografia (CLAE-FR). A atividade antioxidante dos concentrados protéicos com e sem lignana e de seus hidrolisados será avaliada pela capacidade quelante ao ferro e pelo poder redutor.