Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise da injeção intracerebroventricular de melatonina no comportamento alimentar e alterações na via de transmissão do sinal insulínico no fígado, tecido muscular e adiposo no modelo experimental diurno Arvicanthis ansorgei

Processo: 12/20229-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 01 de maio de 2013
Vigência (Término): 30 de abril de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia Geral
Pesquisador responsável:José Cipolla Neto
Beneficiário:Rosana Fátima Dantas Ferreira
Supervisor no Exterior: Etienne Challet
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Université de Strasbourg, França  
Vinculado à bolsa:10/12947-4 - Efeitos da reposição terapêutica central de melatonina em animais idosos - alterações na via de transmissão do sinal insulínico no hipotálamo, fígado, tecido muscular e adiposo, BP.DR
Assunto(s):Insulina   Comportamento alimentar

Resumo

A melatonina é um hormônio produzido pela glândula pineal durante a noite. Como seus ritmos circulatórios são robustos e previsíveis eles são fortes sincronizadores para a expressão de vários processos fisiológicos, incluindo o metabolismo energético. Estudos do nosso grupo mostram que a reposição da melatonina por via oral, em animais idosos, regulariza a resposta insulínica, reduz a ingesta alimentar em decorrência o peso corpóreo. Alguns estudos mostram que a injeção central de melatonina é mais eficiente que reposição periférica na regulação da glicemia (ação hipoglicemiante maior). Além disso, estudos do nosso grupo mostram que a reposição da melatonina por via oral regulariza a resposta insulínica, reduz a ingesta alimentar e, em decorrência o peso corpóreo em animais idosos. Como há, na literatura evidências de que a melatonina pode agir centralmente regulando o metabolismo energético, pretende-se com o presente trabalho avaliar os efeitos decorrentes da injeção de melatonina em ratos diurnos, por microdiálise reversa no III ventrículo, sobre o comportamento alimentar, variação de peso corporal e resposta periférica à insulina. Esses parâmetros metabólicos são bem conhecidos em animais de atividade noturna e muito pouco se sabe sobre como eles acontecem em roedores diurnos. Propõe-se nesse projeto a avaliação desses parâmetros metabólicos no modelo experimental diurno Arvicanthis ansorgei. (AU)