Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito do exercício físico de resistência nos mecanismos celulares de resposta ao estresse e no processo de autofagia em modelo experimental com doença renal crônica

Processo: 12/15789-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2013
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Niels Olsen Saraiva Câmara
Beneficiário:Débora Tavares de Resende e Silva Abate
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:12/02270-2 - Novos mecanismos celulares, moleculares e imunológicos das lesões renais agudas e crônicas: busca por novas estratégias terapêuticas, AP.TEM
Assunto(s):Exercício físico   Rim   Inflamação   Nefrologia   Citoproteção   Insuficiência renal crônica

Resumo

A doença renal crônica (DRC) independente da injúria inicial é associada com lesão no compartimento túbulo-intersticial, incluindo degeneração tubular, infiltração intersticial e fibrose, o que leva á um declínio progressivo da função renal. Na tentativa de minimizar os danos gerados pela DRC, existem mecanismos citoprotetores que limitam lesões e dentre estes mecanismos, podemos destacar: a indução da expressão da heme oxigenase-1 (HO1), que promove a formação de produtos anti-apoptóticos e imunomoduladores; o estresse do retículo endoplasmático, que envolve a participação de proteínas essenciais para a manutenção da homeostase celular e a autofagia. É descrito que pacientes com DRC geralmente têm uma queda no desempenho físico; e apesar das evidências que a prática do exercício é segura, e benéfica em portadores de DRC, ainda se encontra resistência em sua prática. Os pacientes com DRC geralmente possuem musculatura enfraquecidas e com a prática de exercício, podem se beneficiar de intervenções de treinamento de força. Ademais, revisões recentes têm descrito que a prática de exercício físico apresenta efeitos antiinflamatórios, que se concentraram em três possíveis mecanismos: a redução da massa de gordura visceral, aumento da produção e liberação de citocinas antiinflamatórias, e, redução da expressão de Toll-like receptors (TLRs). Sendo assim, buscam-se maiores esclarecimentos sobre a influência do exercício físico de resistência na DRC nas respostas ao estresse celular nas lesões renais, pois, além de fornecer informações sobre respostas a prática do exercício, permitirá desenvolver novos alvos terapêuticos que possam restabelecer a homeostase celular e conseqüentemente diminuir as lesões geradas pela DRC, além de beneficiar a qualidade de vida dos portadores de DRC.