Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da agomelatina na ansiedade experimental induzida em humanos

Processo: 12/17595-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2012
Vigência (Término): 30 de novembro de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Psiquiatria
Pesquisador responsável:José Alexandre de Souza Crippa
Beneficiário:Mateus Machado Bergamaschi
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Psicofarmacologia   Reconhecimento facial   Agomelatina   Ansiedade

Resumo

A agomelatina é um novo antidepressivo da classes dos agonistas dos receptores melantoninérgicos (MT1 e MT2) e antagonista dos receptores serotoninérgticos (5-HT2c). Estudos sugerem que a agomelatina apresenta propriedades ansiolíticas, porém até o momento há apenas um estudo de caso com 1 paciente com transtorno de ansiedade social (TAS), nunca testado em estudos randomizados e controlado por placebo. Ao controrário das outras classes de antidepressivos, a agomelatina não causa aumento de massa corpórea, disfunção sexual ou síndrome de abstinência. Este trabalho objetiva avaliar o efeito ansiolítico da agomelatina em voluntários saudáveis e com TAS submetidos ao Teste de Simulação de Falar em Público (TSFP) e ao Reconhecimento Facial. Agomelatina, citalopram, venlafaxina ou placebo serão administrados em dose única via oral em voluntários saudáveis e com TAS (n=14). Todos os sujeitos serão submetidos ao TSFP, em um procedimento duplo-cego e posteriormente ao teste de reconhecimento de expressões faciais dinâmicas de seis emoções básicas (alegria, tristeza, nojo, raiva, medo e surpresa). Para a avaliação dos estados subjetivos de ansiedade durante o TSFP serão utilizadas as seguintes escalas de auto-avaliação: 1. Escala Analógica de Humor; 2. Escala de Sintomas Corporais; 3. Versão de "estado" da escala de auto-avaliação ao falar em público. Também serão realizadas as medidas de freqüência cardíaca, pressão arterial, condutância da pele e número de flutuações espontâneas da condutância da pele. Implicações e Relevância: Os resultados deste projeto poderão contribuir para um maior conhecimento do potencial efeitos terapêuticos da agomelatina na ansiedade clínica. Com estas informações poderemos ajudar pessoas portadoras de transtornos ansiosos, melhorando a forma de tratamento dessas pessoas.