Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise proteômica dos efeitos da Aloe barbadensis em rim de ratos diabéticos induzidos por estreptozotocina

Processo: 12/22278-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2012
Vigência (Término): 30 de setembro de 2015
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Dulce Elena Casarini
Beneficiário:Lilian dos Santos
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:10/51904-9 - Sistema renina angiotensina e calicreina cininas na hipertensão, obesidade, diabetes, desnutrição e sepses: mecanismos moleculares, celulares e fisiopatológicos, AP.TEM
Assunto(s):Nefropatias diabéticas   Proteômica   Aloe

Resumo

A nefropatia diabética (ND) é uma complicação microvascular frequente no diabetes mellitus (DM). Apesar dos antidiabéticos orais e da insulina apresentarem efeitos eficazes na terapêutica do DM, estes possuem efeitos colaterais e elevado custo. A Aloe vera pertence à família Asphodelaceae e possui mais de 75 componentes ativos que atuam de maneira isolada ou sinérgica, promovendo efeitos anti-inflamatórios, antibacterianos, antioxidantes, hipoglicêmicos, dentre outros. A proteômica é a ciência que estuda um proteoma (conjunto de proteínas expressas por um organismo em determinada situação) permitindo avaliações quantitativas e qualitativas de proteínas que atuam no metabolismo celular. Apesar de diversos trabalhos envolvendo modelos experimentais demonstrarem que a Aloe vera possui efeitos hipoglicemiantes comparáveis às drogas utilizadas atualmente no tratamento de diabetes, os mecanismos de ação não foram completamente estabelecidos e não há correlação entre cada componente individual e os efeitos terapêuticos. Por isso, mais estudos são necessários para elucidar a propriedade hipoglicemiante da Aloe barbadensis. (AU)