Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento da fase extratora molecularmente impressa para análises de parabenos em amostras de plasma por cromatografia líquida acoplada a espectrometria de massas sequencial

Processo: 12/21178-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2013
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Analítica
Pesquisador responsável:Maria Eugênia Queiroz Nassur
Beneficiário:Mariane Valéria Roldão
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Parabenos   Cromatografia líquida

Resumo

Os parabenos, ésteres neutros derivados do ácido p-hidroxibenzóico, quando utilizados em baixas concentrações (0,016 a 0,4%), inibem o desenvolvimento de microorganismos em produtos cosméticos. Os parabenos, presentes em cosméticos de uso tópico, sofrem hidrólise na própria derme devido à presença da enzima esterase. No entanto, quando estes compostos estão presentes em altas concentrações na derme, a hidrólise poderá ser incompleta e os parabenos podem acumular nos tecidos do corpo humano de maneira similar a outros compostos lipofílicos que são bioacumulativos ou ainda induzir dermatites alérgicas em indivíduos sensíveis. Embora o uso de parabenos seja estabelecido por órgãos regulamentadores, estudos mais abrangentes são necessários para determinar conclusivamente o verdadeiro alcance do dano potencial causado pela exposição prolongada aos parabenos resultante do uso diário de cosméticos.Em razão da complexidade dos fluidos biológicos, estes não podem ser introduzidos em seu estado fisiológico em sistemas de LC-MS/MS, pois apresentam interferentes, principalmente proteínas que podem suprimir a ionização dos analitos durante processo de ionização à pressão atmosférica (API) (análises LC-MS), coeluir com os analitos durante a separação cromatográfica ou adsorver de forma irreversível junto à coluna analítica, modificando a retenção dos analitos e causando a morte da coluna e, consequentemente, aumentando os custos das análises.A Extração em Fase Sólida (SPE) é uma técnica de separação líquido-sólido que utiliza dispositivos de extração que contêm a fase sólida. Em razão da complexidade das amostras de plasma e da presença dos parabenos em níveis de traços nestas matrizes, o desenvolvimento de fases extratoras SPE mais seletivas é imprescindível para aumentar a seletividade e especificidade do método cromatográfico. Os polímeros de impressão molecular (MIP) são materiais sintéticos com propriedades de reconhecimento molecular baseados em sistemas biomiméticos, semelhante aos sistemas específicos enzima-substrato ou antígeno-anticorpo. Este trabalho tem como objetivo desenvolver a fase extratora molecularmente impressa para extração em fase sólida de parabenos em amostras de plasma para análises por cromatografia líquida acoplada a espectrometria de massas sequencial.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MARIANE V. ROLDÃO; LIDERVAN P. MELO; LUIS FELIPPE C. MIRANDA; MARCOS G. RESENDE; MARIA EUGÊNIA C. QUEIROZ. Development of Molecularly Imprinted Polymers for Solid Phase Extraction of Parabens in Plasma Samples and Analysis by UHPLC-MS/MS. Journal of the Brazilian Chemical Society, v. 28, n. 2, p. 257-265, Fev. 2017. Citações Web of Science: 1.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.