Busca avançada
Ano de início
Entree

Poluentes atmosféricos associados ao peso insuficiente ao nascimento

Processo: 12/18266-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2013
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Saúde Materno-infantil
Pesquisador responsável:Andrea Paula Peneluppi de Medeiros
Beneficiário:Veridiana de Paula Santos
Instituição-sede: Instituto Básico de Biociências (IBB). Universidade de Taubaté (UNITAU). Taubaté , SP, Brasil
Assunto(s):Peso ao nascer   Regressão logística   Poluição do ar

Resumo

Estudos mostram que as crianças nascidas com peso insuficiente (peso de nascimento entre 2.500g e 2.999g) têm maiores riscos que as nascidas com peso adequado. Há de duas a três vezes mais probabilidade de morte, há maior chance para enfermidades infecciosas, para infecções respiratórias e para atraso de crescimento e desenvolvimento, além de maior possibilidade de ocorrência de doenças crônicas no futuro. Dentre os inúmeros fatores de risco para peso insuficiente ao nascer, vários já foram investigados, mas pouca atenção foi dada aos poluentes atmosféricos. A poluição do ar talvez não seja o fator mais danoso contra a gravidez e o feto, mas sua importância deriva de sua capacidade em atingir um grande número de pessoas ao mesmo tempo, ou seja, não é um fator de risco apenas individual. O objetivo desta pesquisa é avaliar o efeito da poluição do ar sobre o peso ao nascer, mais especificamente, o peso insuficiente ao nascer de recém-nascidos a no Município de São José dos Campos. Trata-se de estudo longitudinal com dados relativos a todos os nascidos de mães residentes no referido município nos anos de 2006 a 2010. Essas informações serão obtidas do Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos (SINASC) por meio da Declaração de Nascido Vivo (DN). Os poluentes estudados serão o PM10, SO2 e O3 que são quantificados pela estação medidora da CETESB de São José dos Campos, além das informações sobre temperaturas mínima, média e máxima e umidade relativa do ar. A análise dos dados será primeiramente descritiva, por meio de gráficos e tabelas de freqüência simples do banco de dados dos nascimentos e dos poluentes. Para examinar a associação entre exposição materna à poluição do ar e o menor ganho de peso ao nascer serão utilizadas a regressão linear (univariada e multivariada) e para analisar o peso insuficiente ao nascer serão utilizadas a regressão logística (univariada e multivariada). A análise estatística será realizada nos programas Excel e Stata v.9.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)