Busca avançada
Ano de início
Entree

O papel da heme oxigenase-1 sobre os receptores ADORA-2A e 2B no modelo de lesão renal por isquemia e reperfusão

Processo: 12/17045-4
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2013
Vigência (Término): 31 de maio de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Celular
Pesquisador responsável:Niels Olsen Saraiva Câmara
Beneficiário:Mariana Yasue Saito Miyagi
Supervisor no Exterior: Leo Edmond Otterbein
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Harvard University, Boston, Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:11/10349-5 - O papel do exercício físico na lesão renal induzida pela cisplatina, BP.IC
Assunto(s):Lesão renal aguda   Insuficiência renal   Nefrologia

Resumo

A insuficiência renal aguda está intimamente relacionada com aumento de morbidade e mortalidade de pacientes hospitalizados, sendo que seu tratamento é dificultado por estar associado à falência de múltiplos órgãos e à sepse. A lesão por isquemia e reperfusão (IR) consiste em sua principal causa, e se desenvolve a partir da interrupção do fluxo sanguíneo e consequente privação do suprimento de oxigênio para o rim. Estudos mostram que a heme oxigenase-1 (HO-1), enzima que cliva a molécula heme levando à produção de biliverdina, monóxido de carbono (CO) e ferro, possui um papel citoprotetor e anti-apoptótico tanto no modelo de IR renal como, entre outros, na lesão renal aguda induzida por cisplatina. A adenosina, nucleotídeo endógeno, é capaz de ligar-se a quatro diferentes receptores acoplados à proteína G (A(1), A(2A), A(2B), e A(3)), sendo importante na adaptação e manutenção das funções celulares durante a hipóxia, e para diminuir a inflamação por ela induzida. Sabendo que ambas as moléculas estão inter-relacionadas, uma vez que a adenosina é um potente indutor de HO-1 via ADORA-2A, e que a HO-1 deve estar presente para que a adenosina desempenhe um efeito protetor, tem-se como objetivo deste projeto, investigar o papel da HO-1 sobre os receptores ADORA-2A e -2B no modelo de lesão renal aguda induzida por isquemia e reperfusão. Visto que o CD39, enzima que contribui para o metabolismo de ATP, está relacionado com disponibilidade de adenosina, faremos uso de camundongos CD39 knockout (KO) e macrófagos derivados dos mesmos a fim de confirmar tal relação. Para tanto, macrófagos derivados de linhagens selvagens e de CD39 KO estimulados com ATP e posteriormente com LPS serão submetidos ao tratamento com CO por meio de uma câmara de gás. Esperamos que a resposta inflamatória gerada por macrófagos CD39 KO seja exacerbada, uma vez que a menor disponibilidade de adenosina levaria a uma menor concentração de HO-1, responsável pela proteção, e que com a exposição controlada da cultura ao CO, o quadro inflamatório seja atenuado. No modelo in vivo, realizaremos isquemia e reperfusão em camundongos C57Bl6 e CD39 KO, utilizando animais sem clampeamento renal como controle (SHAM). Os camundongos serão submetidos a tratamento com CO também através da câmara de gás. Avaliaremos a lesão renal por meio da dosagem de ureia e creatinina no soro, expressão de citocinas e dos receptores ADORA-2A e ADORA-2B por RT-PCR. A fim de verificar a inflamação, realizaremos dosagens de citocinas como TNF, IL-10, IL-6 por Elisa; imunofluorescência em cortes histológicos de rim a fim de detectar receptores ADORA-2A e ADORA-2B, e Western Blot para anti HIF-1a. Desta forma, este projeto contribuirá para esclarecer parte do mecanismo de proteção da HO-1 no modelo de lesão renal aguda por isquemia e reperfusão, que poderá, futuramente, ter aplicações clínicas. (AU)