Busca avançada
Ano de início
Entree

Relevância dos proteoglicanos como biomarcadores prognósticos e preditivos em carcinomas não-pequenas células e seu impacto na carcinogênese pulmonar

Processo: 12/06216-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2012
Vigência (Término): 30 de abril de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Pesquisador responsável:Vera Luiza Capelozzi
Beneficiário:Maristela Peres Rangel
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Biomarcadores   Proteoglicanas   Pneumopatias   Matriz extracelular   Prognóstico   Neoplasias pulmonares

Resumo

Apesar dos avanços no diagnóstico e tratamento dos pacientes com câncer de pulmão, este ainda é o tipo de câncer com maior taxa de mortalidade em todo o mundo. Esse fator está intimamente relacionado com o fato de que, na maioria dos casos, o câncer de pulmão é diagnosticado em estágios avançados quando as opções de tratamento que restam são somente paliativas. Dessa maneira, é urgente a necessidade de se desenvolver novos marcadores moleculares capazes de prever o comportamento neoplásico. Uma das estruturas intimamente envolvida no processo de carcinogênese e no desenvolvimento de metástases é a matriz extracelular. Dentre seus componentes estão os glicosaminoglicanos e os proteoglicanos de matriz que tem capacidade de influenciar o comportamento celular e a dinâmica dos tecidos. O heparan sulfato e o condroitim sulfato fazem parte da família de glicosaminoglicanos e formam também proteoglicanos como o versican, o biglycan, o syndecan, o glypican e o perlecan. Em alguns tipos de câncer já foi observado que essas moléculas apresentam uma expressão diferenciada e têm capacidade de influenciar o comportamento tumoral facilitando processos como a angiogênese e metástases. Sendo assim, o presente projeto pretende 1) mensurar a expressão dos proteoglicanos no câncer de pulmão em gel de agarose; 2) analisar a localização destes compostos nos tumores por imunohistoquímica; 3) avaliar o padrão de expressão gênica dos PGs; 4) determinar a célula responsável pela produção dos PGs no câncer em culturas celulares.

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
RANGEL, Maristela Peres. Relevância dos proteoglicanos como biomarcadores prognósticos e preditivos em carcinomas não-pequenas células e seu impacto na carcinogênese pulmonar. 2016. Tese de Doutorado - Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Medicina São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.