Busca avançada
Ano de início
Entree

Umidificação e aquecimento do gás inalado em estação de anestesia com baixo fluxo de gases utilizando ou não isolamento térmico do circuito ventilatório e permutador de calor e umidade

Processo: 12/10400-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2013
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Pesquisador responsável:Jose Reinaldo Cerqueira Braz
Beneficiário:Yoko Hayashi
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Anestesiologia   Isolamento térmico

Resumo

Umidificação e aquecimento do gás inalado em estação de anestesia com baixo fluxo de gases utilizando ou não isolamento térmico do circuito ventilatório ou permutador de calor e umidadeNa estação de anestesia Fabius GS Premium da Dräger (Alemanha) há uma placa aquecida para aquecimento dos gases no circuito respiratório e o fluxo de gases frescos (FGF) é misturado com os gases exalados após o canister contendo cal sodada. A temperatura e a umidade do gás inspirado dessa estação de anestesia ainda não foram investigadas. Nós hipotizamos que a capacidade de umidificação e aquecimento pela estação de anestesia Fabius Dräger utilizando técnica de baixo FGF(1 L/min); pode não ser suficiente para colocar o gás inalado dentro de parâmetros fisiológicos de umidade e temperatura durante a cirurgia. A temperatura da sala de operação influencia diretamente a temperatura do gás no circuito respiratório. A utilização de um permutador de calor e umidade (PCU) e ou isolamento térmico dos tubos do circuito ventilatório poderá otimizar os valores de umidade e temperatura do gás a ser inalado pelo paciente, ao se utilizar o aparelho Dräger Fabius. O estudo terá como objetivo principal avaliar a eficiência do sistema ventilatório circular da estação de anestesia Dräger Fabius quanto à capacidade de aquecimento e umidificação dos gases inalados durante a anestesia, utilizando-se baixo FGF em conjunto com o uso ou não de PCU ou de isolamento térmico dos tubos corrugados do circuito respiratório. O estudo será realizado em 40 pacientes sob anestesia geral intravenosa com baixo FGF (1 L/min) para realização de cirurgia de rotima abdominal. Os pacientes serão distribuídos, de forma aleatória, em quatro grupos de 10 pacientes, que se diferenciarão de acordo com o uso ou não de PCU e isolamento térmico do circuito ventilatório: GRUPO BF - sem o uso de PCU ou isolamento térmico; GRUPO BFP - uso de PCU; GRUPO BPI: uso de PCU e isolamento térmico do circuito ventilatório; GRUPO BFI: uso de isolamento térmico do circuito ventilatório. Os valores da temperatura e da umidade relativa e absoluta dos gases inalados serão determinados após 15, 30, 60, 90 e 120 minutos após a instalação do circuito respiratório.Palavras-chave: permutador de calor e umidade, umidificação, circuito respiratório, isolamento térmico.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
DE OLIVEIRA, SERGIUS A. R.; LUCIO, LORENA M. C.; MODOLO, NORMA S. P.; HAYASHI, YOKO; BRAZ, MARIANA G.; DE CARVALHO, LIDIA R.; BRAZ, LEANDRO G.; BRAZ, JOSE REINALDO C. The Humidity in a Low-Flow Drager Fabius Anesthesia Workstation with or without Thermal Insulation or a Heat and Moisture Exchanger: A Prospective Randomized Clinical Trial. PLoS One, v. 12, n. 1 JAN 27 2017. Citações Web of Science: 1.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.