Busca avançada
Ano de início
Entree

Plasticidade neural em pacientes glossectomizados

Processo: 12/13579-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2013
Vigência (Término): 31 de maio de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fonoaudiologia
Pesquisador responsável:Elisabete Carrara-Angelis
Beneficiário:Renata Lígia Vieira Guedes
Instituição-sede: A C Camargo Cancer Center. Fundação Antonio Prudente (FAP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Transtornos de deglutição   Plasticidade neuronal   Reabilitação (terapêutica médica)

Resumo

Justificativa: A habilidade de reorganização de uma função após um dano muscular é dependente de adaptações que ocorrem no nível cerebral. Nos casos de ressecção de porções da língua, por exemplo, o cérebro deve reaprender a usar este novo órgão. Esta reorganização é um objetivo preliminar da recuperação neural para facilitar a recuperação da função e pode ser influenciada pela experiência, comportamento, prática de tarefas e em resposta a lesões cerebrais. Informações sobre a reorganização cortical cerebral relacionadas à função de deglutição após o tratamento fonoaudiológico em pacientes tratados de tumores de língua são inexistentes e podem ser extremamente úteis no tratamento e no prognóstico da disfagia, assim como no entendimento sobre o papel da língua na deglutição. Estudos que validem esta hipótese são importantes para justificar a incorporação da intervenção fonoaudiológica como parte do tratamento de rotina em pacientes com câncer de cabeça e pescoço. Objetivos: Avaliar as ativações corticais na função de deglutição antes e após cirurgia e fonoterapia em pacientes tratados do câncer de língua. Metodologia: Estudo prospectivo, que será realizado nos Departamentos de Cirurgia de Cabeça e Pescoço e Otorrinolaringologia e no Departamento de Fonoaudiologia do Hospital A.C. Camargo. Serão considerados os seguintes critérios de inclusão: pacientes adultos, de ambos os sexos, com diagnóstico primário de câncer de língua, independente de estadiamento, que serão submetidos à glossectomia (parcial, subtotal ou total) após a primeira consulta no Departamento de Cirurgia de Cabeça e Pescoço e Otorrinolaringologia e que assinem o termo de consentimento do estudo. Serão excluídos pacientes que já foram tratados previamente por tumores na região da cabeça e do pescoço, indivíduos com déficit na compreensão e/ou expressão da linguagem ou que se recusaram a participar do estudo. Os pacientes serão avaliados em quatro momentos: pré cirurgia; de quinze a trinta dias após o procedimento cirúrgico, sendo neste momento realizada a avaliação fonoaudiológica; após 8 sessões de fonoterapia; e após um mês da última avaliação. Caso o paciente necessite de tratamento adjuvante com radioterapia, ele será incluído em um subgrupo específico para análise isolada e descritiva, e seguirá o mesmo fluxo de avaliação e tratamento do grupo 1. As avaliações nos pacientes que preencherem os critérios de inclusão constarão de ressonância magnética funcional, avaliação videofluoroscópica da deglutição e avaliação da qualidade de vida. Após a avaliação médica inicial, os pacientes serão divididos em dois grupos aleatoriamente para iniciar a fonoterapia após o tratamento cirúrgico, e submetidos ao tratamento fonoaudiológico tradicional, sendo que o grupo 1 iniciará a fonoterapia no momento do encaminhamento (primeira avaliação), enquanto o grupo 2 (controle) iniciará a fonoterapia após a segunda avaliação. Ambos os grupos seguirão o mesmo fluxo de avaliação e acompanhamento, e no final os dados coletados serão comparados entre si. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.