Busca avançada
Ano de início
Entree

Mecanismos envolvidos no aumento do risco cardiovascular em indivíduos portadores de lesão da medula espinhal

Processo: 12/20025-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2013
Vigência (Término): 30 de setembro de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Wilson Nadruz Junior
Beneficiário:Layde Rosane Paim
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Cardiologia   Aterosclerose

Resumo

Diversas evidências têm demonstrado que indivíduos portadores de lesão da medula espinhal (LM) apresentam maior carga aterosclerótica e pior função diastólica do ventrículo esquerdo quando comparados com sujeitos saudáveis. Estes achados parecem ser independentes de fatores de risco tradicionais, como idade, hipertensão arterial, índice de massa corpórea, alterações metabólicas, tabagismo ou níveis séricos de fatores inflamatórios. Por outro lado, a aterosclerose subclínica de indivíduos normotensos com LM apresenta forte correlação com a pressão arterial diastólica aferida pela Medida Ambulatorial da Pressão Arterial (MAPA), sugerindo que as células vasculares/inflamatórias destes indivíduos podem ser mais sensíveis ao estímulo hemodinâmico/mecânico. Além disto, diversas evidências têm sugerido que parte das alterações cardiovasculares associadas à LM podem estar relacionadas à inatividade física extrema à qual estes indivíduos estão expostos. Tais evidências apontam para a LM em humanos como um modelo com características únicas, cujo estudo pode expandir a compreensão da fisiopatologia da doença aterosclerótica e da disfunção diastólica. O objetivo deste estudo será investigar potenciais mecanismos envolvidos na aterogênese e disfunção diastólica associadas à LM. Neste contexto, investigaremos a atividade/expressão plasmática de metaloproteinases e a concentração plasmática de LDL-oxidada, renina, angiontesina II e catecolaminas e avaliaremos suas correlações com a espessura íntima-média (EIM) carotídea e parâmetros ecocardiográficos em indivíduos sadios, em sujeitos com LM sedentários e em atletas com LM. Além disto, analisaremos os efeitos do estiramento mecânico in vitro sobre a ativação de monócitos obtidos de sangue periférico e faremos a correlação destes dados com a magnitude de EIM carotídea de indivíduos sadios e com LM.

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.