Busca avançada
Ano de início
Entree

Eficiência e toxicidade do plasma de baixa temperatura sobre biofilmes patogênicos desenvolvidos em epitélio oral reconstituído in vitro

Processo: 12/20699-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2013
Vigência (Término): 30 de abril de 2015
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Clínica Odontológica
Pesquisador responsável:Carlos Eduardo Vergani
Beneficiário:Juliana Aparecida Delben
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOAr). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):13/21388-7 - Efeito do plasma de baixa temperatura sobre biofilmes orais patogênicos e epitélio oral reconstituído in vitro, BE.EP.PD
Assunto(s):Placa bacteriana   Plasmas de baixa temperatura

Resumo

Staphylococcus aureus e Candida albicans são micro-organismos capazes de desenvolver biofilmes polimicrobianos orais com severa virulência em pacientes com sistema imunológico comprometido, principalmente na presença de S. aureus resistente à Meticilina (MRSA). Nesse sentido, o plasma de baixa temperatura (PBT) pode se tornar um tratamento promissor na inativação desses micro-organismos, sendo capaz de desorganizar a matriz do biofilme e romper a estrutura celular de alguns patógenos isolados. No entanto, poucos estudos relatam informações com relação ao efeito do PBT sobre biofilmes polimicrobianos e o tecido hospedeiro. Sendo assim, o objetivo desse estudo será avaliar o efeito antimicrobiano e toxicidade do PBT sobre biofilmes isolados e mistos de C. albicans, S. aureus sensível à Meticilina (MSSA) e S. aureus resistente à Meticilina (MRSA) cultivados sobre epitélio oral reconstituído in vitro. Inicialmente, os biofilmes isolados e mistos serão cultivados e submetidos ao PBT para avaliação do número de colônias viáveis, biomassa total, atividade mitocondrial da célula, microscopia confocal a laser (MCL) e microscopia eletrônica de varredura ambiental (MEVA). O mesmo tratamento será conduzido sobre epitélio oral reconstituído in vitro não infectado e avaliado por análise histológica, imunohistoquímica, liberação da enzima lactato desidrogenase (LDH), indicadores da resposta inflamatória, MCL e MEVA. Culturas simples e mistas também serão utilizadas para infectar o epitélio oral reconstituído e o tratamento com PBT será conduzido após a infecção. A invasão microbiana será avaliada por análise histológica, imunohistoquímica, liberação de LDH, indicadores da resposta inflamatória, MCL e MEVA. Para cada condição experimental, existirá um grupo controle sem a realização do tratamento com PBT. Os dados serão avaliados por meio de métodos observacionais e estatísticos mais adequados. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Plasma poderá ser usado no combate ao biofilme bucal 

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
DELBEN, JULIANA APARECIDA; ZAGO, CHAIENE EVELIN; TYHOVYCH, NATALIA; DUARTE, SIMONE; VERGANI, CARLOS EDUARDO. Effect of Atmospheric-Pressure Cold Plasma on Pathogenic Oral Biofilms and In Vitro Reconstituted Oral Epithelium. PLoS One, v. 11, n. 5 MAY 25 2016. Citações Web of Science: 22.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.