Busca avançada
Ano de início
Entree

Complexos rutênio-ftalocianinas como fotossensibilizadores para terapia fotodinâmica. aspectos fotoquímicos e fotobiológicos

Processo: 12/21232-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2013
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2015
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia
Pesquisador responsável:Roberto Santana da Silva
Beneficiário:Laísa Bonafim Negri
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Óxido nítrico   Fotoquímica   Oxigênio singleto

Resumo

O óxido nítrico (NO) é um mensageiro biológico que tem vital importância em muitos processos fisiológicos, tais como o controle cardiovascular, a sinalização neural e a defesa contra microorganismos e tumores. Além disto, o NO é também anticancerigeneo o que possibilitaria o uso de compostos doadores de NO em tratamentos clínicos como, por exemplo, em Terapia Fotodinâmica (TFD). Baseado nas características químicas e biológicas da molécula NO é que se torna vital a busca de sistemas passíveis de liberar NO, de forma controlada, no sistema biológico. Uma das possibilidades iminentes envolve complexos nitrosilos de rutênio, cuja estratégia seria utilizar compostos que fossem termodinamicamente estáveis, porém fotoquimicamente ativos. Compostos que absorvem na região da janela terapêutica e são passíveis de propiciarem transferência eletrônica fotoinduzida podem, na presença de complexos nitrosilos de rutênio, produzirem NO. Baseado nisto o objetivo deste projeto consiste no estudo da transferência de energia e eletrônica fotoinduzida em complexos trans-[RuNO(pc-R)(NO2)] como agente produtor de espécies reativas de oxigênio (EROs) e nitrogênio (ERONs) por irradiação luminosa na região de 500 nm a 700 nm. Medidas de NO, oxigênio singleto e seus derivados serão determinados em função de diferentes concentrações de oxigênio e a potencialidade citotóxica em linhagem de células cancerígena, avaliada. Estudos fotoquímicos, fotofísicos e cinéticos serão conduzidos no intuito de descrever o processo de transferência eletrônica e de energia fotoinduzidos, observados nas espécies em estudo. A ligação covalente destas espécies doadoras de NO a um anticorpo específico para o VEGF poderá promover uma dupla ação quimioterápica, unindo a quimioterapia convencional e terapia fotodinâmica. A razão desta proposta relaciona-se que a perturbação seletiva do endotélio do tumor pode melhorar a penetração de agentes quimioterapêuticos proporcionando um efeito sinérgico entre a PDT e a quimioterapia tradicional. O uso deste composto poderá também propiciar a avaliação por imagem, haja visto que se trata de um composto fluorescente, como é particular para ftalocianinas.A atuação da profa. Dra. Lea Ann Dailey como co-orientadora, visa conciliar a experiência adquirida pela pesquisadora do King's College London na área relativa a tumores sólidos com a experiência do uso de compostos de coordenação na atividade anticancerígena deste grupo brasileiro. Além disto a aluna Laísa Bonafim Negri estagiou naqueles laboratórios no ano de 2011, como parte de sua iniciação científica. Recentemente a FAPESP/Kings College London aprovaram projeto de cooperação científica entre este docente responsável - prof. Dr. Roberto Santana da Silva - e aquela pesquisadora - Lea Ann Dailey - (2012/50588-1), o que permitirá intercâmbio científico com a aluna candidata a bolsista, neste projeto. Isto sem dúvida permitirá um grande avanço científico na área, num projeto já aprovado pela FAPESP.

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
NEGRI, Laísa Bonafim. Complexos rutênio-ftalocianinas como fotossensibilizadores para terapia fotodinâmica. Aspectos fotoquímicos e fotobiológicos. 2015. Dissertação de Mestrado - Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto Ribeirão Preto.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.