Busca avançada
Ano de início
Entree

Facilitação ou competição? Meta-análise dos fatores determinantes para as interações entre plantas de restinga

Processo: 12/09794-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2013
Vigência (Término): 30 de setembro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia
Pesquisador responsável:Paulo Inácio de Knegt López de Prado
Beneficiário:Camila de Toledo Castanho
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Competição   Restinga   Meta-análise

Resumo

Interações planta-planta podem ser negativas (competição) ou positivas (facilitação). Embora seja amplamente reconhecido que as ambas interações podem ocorrer simultaneamente entre duas plantas, ainda não está claro quais são as condições que favorecem o predomínio de uma interação sobre a outra. Estudos isolados têm indicado a importância de características das espécies envolvidas na interação, assim como do grau de estresse ambiental na determinação da interação predominante. No entanto, a importância desses fatores nunca foi testada a partir de síntese quantitativa do grande conjunto de evidências acumuladas até o momento. A vegetação sobre planície costeira arenosa (no Brasil também conhecida como restinga) apresenta condições potencialmente limitantes para o desempenho de plantas, como por exemplo baixa disponibilidade de água e nutrientes no solo, presença de sal no solo e nos borrifos soprados do mar e intensa exposição ao vento. Diversos trabalhos têm encontrado evidências de que plantas de restinga podem melhorar as condições e recursos de seu entorno, facilitando o desempenho de plantas vizinhas. No entanto, uma série de outros estudos encontraram evidências de que a competição é a interação predominante entre plantas de restinga, sugerindo então que o saldo das interações entre plantas deste sistema é contexto-dependente. Essa contradição entre resultados, assim como o volume de estudos acumulados faz da restinga um ambiente extremamente adequado para testar, através de uma síntese quantitativa, se fatores relacionados às características das espécies envolvidas e das condições ambientais explicam a variação no saldo das interações encontrada entre diferentes estudos. Dessa forma, o objetivo principal deste projeto é investigar, através de técnicas de meta-análise, qual a interação predominante entre plantas de restinga em uma escala mundial; e se os seguintes fatores afetam o saldo das interações: i) estágio de vida do indivíduo alvo; ii) forma de vida da espécie alvo; iii) forma de vida da espécie vizinha e iv) estresse ambiental. Os resultados deste projeto nos permitirá melhor compreendermos como o balanço entre competição e facilitação varia no tempo e no espaço, além de apresentar implicações práticas ao fornecer informações que subsidiem a seleção de condições e de espécies mais adequadas para o papel de facilitadoras em projetos de restauração de restingas degradadas.

Publicações científicas (4)
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
ASTEGIANO, JULIA; SEBASTIAN-GONZALEZ, ESTHER; CASTANHO, CAMILA DE TOLEDO. Unravelling the gender productivity gap in science: a meta-analytical review. ROYAL SOCIETY OPEN SCIENCE, v. 6, n. 6 JUN 2019. Citações Web of Science: 0.
CASTANHO, CAMILA T.; OLIVEIRA, ALEXANDRE A.; PRADO, PAULO INACIO K. L. Does extreme environmental severity promote plant facilitation? An experimental field test in a subtropical coastal dune. Oecologia, v. 178, n. 3, p. 855-866, JUL 2015. Citações Web of Science: 6.
CASTANHO, CAMILA DE TOLEDO; LORTIE, CHRISTOPHER J.; ZAITCHIK, BENJAMIN; PRADO, PAULO INACIO. A meta-analysis of plant facilitation in coastal dune systems: responses, regions, and research gaps. PeerJ, v. 3, FEB 12 2015. Citações Web of Science: 6.
CASTANHO, CAMILA DE TOLEDO; PRADO, PAULO INACIO. Benefit of Shading by Nurse Plant Does Not Change along a Stress Gradient in a Coastal Dune. PLoS One, v. 9, n. 8 AUG 15 2014. Citações Web of Science: 6.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.