Busca avançada
Ano de início
Entree

Determinação da variação da pressão de pulso em equinos anestesiados com isofluorano e mecanicamente ventilados submetidos à reposição volêmica

Processo: 12/19905-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2012
Vigência (Término): 04 de maio de 2014
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica e Cirurgia Animal
Pesquisador responsável:Denise Tabacchi Fantoni
Beneficiário:Eutálio Luiz Mariani Pimenta
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Anestesiologia veterinária   Anestesia   Respiração artificial   Isoflurano   Equinos

Resumo

A responsividade a fluidoterapia é um parâmetro de extrema importância visto que a perfusão tecidual e a oxigenação dos tecidos dependem do status volêmico do paciente. Neste contexto a variação da pressão de pulso (”PP) tem se mostrado eficaz em diferenciar pacientes responsivos ou não a expansão volêmica (EV). Para que a fluidoterapia seja administrada de forma efetiva e segura o presente projeto visa determinar a relação entre a ”PP e a responsividade à expansão volêmica (EV) em equinos anestesiados com isofluorano através da associação deste indicador volêmico com o débito cardíaco. Serão utilizados 6 animais adultos, machos e fêmeas, anestesiados com isofluorano, submetidos a 2 modelos experimentais: restrição hídrica de 12 horas e hiperdistensão abdominal com CO2. Durante o procedimento anestésico, os animais que apresentarem hipotensão (PAM menor que 70 mmHg) serão submetidos a EV com solução de hidroxetilamido (130/0,4; 5 ml/kg durante 15 minutos). Após a coleta dos parâmetros basais (TBasal), os parâmetros serão registrados imediatamente antes (T0) e logo após a EV (Tev). Os animais serão considerados responsivos à fluidoterapia se houver aumento do DC superior a 15%. Animais considerados como não responsivos serão submetidos a nova expansão volêmica com colóide, seguida, se continuarem como não responsivos, de cristaloide isotônico (Ringer com Lactato, 10 mL/kg, IV, em 15 minutos). Caso continue não responsivo ou apresente hipotensão, será iniciado o tratamento com dobutamina (1mcg/kg/min), acrescido de 0,5 mcg/kg/min até atingir PAM entre 70 - 90 mmHg. Após estabilização da PAM, os animias serão submetidos a expansão volêmica final com cristalóide. Será empregado um delineamento em medidas repetidas no tempo. As comparações múltiplas entre tratamentos serão realizadas através do teste ANOVA seguido pelo teste de Tukey. A comparação do efeito do tratamento em relação aos valores basais será realizada pelo teste ANOVA seguido de teste t de student (p menor que 0,05). A curva ROC (receiver operating characteristic) será gerada para a ”PP e a PVC, para determinação do valor limite de cada parâmetro.

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
PIMENTA, Eutálio Luiz Mariani. Determinação da variação da pressão de pulso em equinos anestesiados com isofluorano e mecanicamente ventilados submetidos à reposição volêmica. 2016. Tese de Doutorado - Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.