Busca avançada
Ano de início
Entree

Expressão gênica e análise bioquímica de beta-catenina no carcinoma hepatocelular

Processo: 12/21421-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2013
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:Renato Ferreira da Silva
Beneficiário:Rafael Fernandes Ferreira
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (FAMERP). Secretaria de Desenvolvimento Econômico (São Paulo - Estado). São José do Rio Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Gastroenterologia   Carcinoma hepatocelular   Expressão gênica

Resumo

Carcinoma hepatocelular (CHC) é o tipo mais comum de câncer de fígado. Os fatores de risco para CHC incluem hepatites C e B, cirrose alcoólica, exposição prolongada à aflatoxina, doenças metabólicas hereditárias, além de alterações genéticas que podem afetar diversas vias celulares. Nesse caso, destacam-se as mutações genéticas e a superexpressão da ²-catenina, que tem sido associado ao processo carcinogênico em diferentes casuísticas, atuando como proteína de adesão celular. Avaliar a expressão gênica da ²-catenina em pacientes com CHC e hepatite por vírus C (HCV); analisar comparativamente os níveis séricos de ²-catenina em pacientes com CHC, cirrose, HCV e indivíduos controles; analisar a razão de chance para CHC, com relação aos fatores clínicos, genéticos e bioquímicos nos diferentes grupos estudados. Serão selecionados 40 indivíduos, independente de sexo, grupo étnico e idade, distribuídos em quatro grupos. Grupo 1- 10 indivíduos com diagnóstico de CHC; Grupo 2- 10 indivíduos com diagnóstico de cirrose por qualquer etiologia; Grupo 3- 10 indivíduos com diagnóstico de HCV; Grupo 4- 10 indivíduos controles, sem sinais clínicos e bioquímicos de CHC, cirrose ou HCV. A expressão gênica de ²-catenina será realizada por extração do RNA de tecido hepático provenientes de pacientes submetidos à biópsia para diagnóstico de hepatopatias, seguido de amplificação por reação em cadeia da polimerase em tempo real (PCR-RT). As dosagens bioquímicas serão realizadas pelo teste imunoenzimático do tipo ELISA Sanduíche. A análise estatística compreenderá teste exato de Fisher, t Student e regressão multivariada com nível de significância para P<0,05.