Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo do papel da proteína eIF5A na elongação da tradução: análise da relação funcional com o tRNA de alanina em S. cerevisiae

Processo: 12/23396-4
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado Direto
Vigência (Início): 22 de abril de 2013
Vigência (Término): 21 de abril de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Molecular e de Microorganismos
Pesquisador responsável:Cleslei Fernando Zanelli
Beneficiário:Tatiana Faria Watanabe
Supervisor no Exterior: Jonathan D. Dinman
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCFAR). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of Maryland, College Park, Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:10/51359-0 - Estudo do papel da proteína eIF5A na elongação da tradução em S.cerevisiae: análise da relação funcional com o tRNA de alanina e sua participação na síntese proteica geral da célula, BP.DD
Assunto(s):Biossíntese de proteínas   Saccharomyces cerevisiae

Resumo

O fator de início da tradução de eucariotos eIF5A é uma proteína essencial para a viabilidade celular, altamente conservada de arqueas a eucariotos e apresenta uma modificação pós-traducional única onde um resíduo específico de lisina é modificado para o aminoácido hipusina. O processo de hipusinação é essencial para a função de eIF5A e consequentemente para viabilidade celular. eIF5A foi descrita inicialmente como um fator de início da tradução pois estimula a síntese de metionil-puromicina in vitro, porém, dados recentes de nosso e de outros laboratórios mostraram um papel para eIF5A na etapa de elongação da tradução. eIF5A é um homólogo estrutural do fator elongação da tradução P (EF-P) de bacterias. EF-P também estimula a síntese de metionil-puromicina, sendo essencial para viabilidade celular em bactérias. Estudos funcionais sugeriram que EF-P estimula preferencialmente a formação de ligações peptídicas de aminoácidos de cadeia lateral curta. Recentemente, em nosso laboratório, foi isolado o tRNAAla como supressor do fenótipo de sensibilidade a temperatura do mutante tif51AQ22H/L93F, sugerindo uma possível correlação funcional entre estes fatores. Tendo em vista a homologia estrutural entre eIF5A e EF-P e a possível homologia funcional, pretende-se entender a relação de eIF5A com o tRNA de alanina e com isso contribuir para a caracterização do papel específico desta proteína na elongação da tradução. (AU)