Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo da condição clínica avaliada por meio do bem-estar subjetivo de pacientes com transtorno depressivo na população geral.

Processo: 12/23247-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2013
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Psiquiatria
Pesquisador responsável:Sérgio Baxter Andreoli
Beneficiário:Aline Cacozzi
Instituição-sede: Centro de Ciências Sociais Aplicadas. Universidade Católica de Santos (UNISANTOS). Santos , SP, Brasil
Assunto(s):Epidemiologia   Bem-estar   Transtorno depressivo   Qualidade de vida

Resumo

O transtorno depressivo é considerado um problema de saúde pública por ser prevalente e pelo seu alto grau de incapacitação. Boa parte desta incapacitação tem relação com a condição clínica do paciente. Os estudos epidemiológicos em geral identificam os casos, mas não estudam a sua condição clínica. Isso seria possível por meio das medidas de bem-estar, pois estudos de seguimento de pacientes clínicos tem mostrado que a medida do bem-estar pode ser um indicador da melhora da condição clínica mais importante do que as medidas de redução dos sintomas. Objetivo: estudar a condição clínica, medida por meio do escore de bem-estar subjetivo, de portadores de transtorno depressivo identificados na população geral, e fatores a ela associados (uso de serviço, medicamentos e demográficos). Método: estudo de corte transversal com amostra probabilística estratificada em multi-estágios da população geral das cidades de São Paulo e Rio de Janeiro. O Diagnóstico de depressão foi feito a partir da aplicação do "Composite International Diagnostic Interview" (CIDI) versão 2.1. O bem-estar foi avaliado por meio do Subjective Well-Being (SUBI). A análise da associação entre os pacientes depressivos, com alto e baixo bem-estar, e as variáveis relacionadas ao uso de serviço e demográficas, será feita por meio de um modelo de regressão logística. Resultados esperados: considerando que os indivíduos com transtorno depressivo e alto bem-estar são aqueles de melhor condição clínica, esperamos encontrar, nestes, associações significantes com o maior uso de serviço, uso de medicamento e com variáveis demográficas que indiquem menor grau de incapacitação, tais como, por exemplo, ter vínculo estável, estar empregado.