Busca avançada
Ano de início
Entree

Controle da biogênese de microRNAs específicos de células tronco de pluripotência induzida

Processo: 13/00477-1
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2013
Vigência (Término): 31 de julho de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Citologia e Biologia Celular
Pesquisador responsável:Robson Francisco Carvalho
Beneficiário:Carlos Augusto Barnabe Alves
Supervisor no Exterior: Gracjan Michlewski
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of Edinburgh, Escócia  
Vinculado à bolsa:12/10539-1 - Cinética da expressão dos micro-RNAs músculo específicos miR-1, miR-133 e miR-206 e dos atrogenes Murf1 e MAFBx em células tratadas in vitro com TNF-alfa e INF-gama, BP.IC
Assunto(s):MicroRNAs   Células-tronco pluripotentes induzidas   Biogênese

Resumo

Micro-RNAs (miRNAs, miR) são pequenos RNAs reguladores não codificantes com tamanho variando de 17 a 25 nucleotídeos. Atualmente, mais de 21000 miRNAs de 193 espécies foram registradas, e nos humanos são conhecidos 2042. A biogênese de um miRNAs começa no núcleo, em que o pri-miRNA é processado para pre-miRNA pela enzima RNase III (Drosha), a qual requer um cofator, a proteína DGCR8 (DiGeorge Syndrome critical region gene 8). A DGCR8/Drosha forma um grande complexo conhecido como complexo microprocessador que reconhece e cliva o pri-miRNA originando uma molécula com estrutura de hairpin. Após o processamento nuclear, cada pré-miRNAs é exportado para o citoplasma pela exportina-5 (EXP5), sendo convertido em miRNAs maduro e funcional pela Dicer nuclear. Após a clivagem pela Dicer, uma molécula da dupla fita de RNA associa-se à proteína Argonauta para formar o complexo de silenciamento induzido por RNA (RISC), enquanto a outra é degradada. A identificação de miRNAs abriu um novo campo de investigação para compreender os mecanismos moleculares de regulação de sua própria biogênese. Uma importante descoberta sugere que a ação de vários miRNAs podem reprogramar células somáticas em células tronco de pluripotência induzida (iPS), sugerindo que estes miRNAs poderiam desempenhar um papel significativo nas iPS. A família miR-302 tem mostrado ser capaz reprogramar diretamente fibroblastos maduros humanos em iPS. O objetivo do projeto é analisar os mecanismos de controle da biogênese do miR-302 em iPS nos modelos celulares de rato e humano. A hipótese é que a regulação das vias de biogênese de miRNAs em células eucarióticas é generalizada, permitindo uma adaptação rápida e global da maquinaria de expressão do gene a estímulos externos e internos. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.