Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise da incerteza em dados aerogeofísicos e de sensoriamento remoto adquiridos na Província Aurífera do Tapajós, Brasil

Processo: 12/25479-4
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 25 de fevereiro de 2013
Vigência (Término): 24 de maio de 2013
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Geofísica
Pesquisador responsável:Caetano Juliani
Beneficiário:Cleyton de Carvalho Carneiro
Supervisor no Exterior: Michael J. Friedel
Instituição-sede: Instituto de Geociências (IGC). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : U.S. Geological Survey, Denver (USGS), Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:10/10498-8 - Geologia e metalogenia do ouro na Província Aurífera do Tapajós na região de Itaituba (pa): abordagem baseada em imagens aerogeofísicas magnetométricas e gamaespectrométricas, BP.PD
Assunto(s):Sistema de informação geográfica (SIG)   Sensoriamento remoto   Processamento de dados

Resumo

A Província Aurífera do Tapajós, ou Província Mineral do Tapajós, localiza-se na parte centro-sul do Cráton Amazônico. Sua importância geológica e econômica pode ser ressaltada pela sua produção de ouro em garimpos que segundo estimativas extraoficiais, pode chegar a mais de 750 t. Entretanto, mais recentemente, tem sido também reconhecidas na província diversas ocorrências de cobre, chumbo, zinco e molibênio dos tipos epitermal e pórfiro (Juliani et al. 2012), o que amplia sua potencialidade mineral. O acesso aos afloramentos na região é limitado por fatores comuns na Amazônia, tais como a presença de vasta e densa cobertura vegetal e de espesso manto de intemperismo. As cartas geológicas mais recentes desta área foram feitas nas escalas de 1:1.000.000 e 1:500.000, além de 1:250.000 na maior parte da Província (Almeida et al. 2000; Bahia & Quadros, 2000; Ferreira et al. 2000; Klein & Vasquez, 2000; Vasquez & Klein, 2000; Santos et al. 2000, Vasquez & Rosa-Costa 2008b). Para elaboração desses mapas, face ao difícil acesso, foram utilizados dados aerogeofísicos mais antigos, com baixa resolução espacial e limitada densidade de amostragem ao longo das linhas de voo. Entretanto, os estudos do pós-doutorando solicitante, tem utilizado também os dados do levantamento aerogeofísico mais recente, de maior densidade de amostragem, o que tem propiciado a identificação, por meio da técnica Self-Organizing Maps, de uma maior complexidade geológica, bem como de alterações hidrotermais associadas às mineralizações supracitadas. O projeto aqui proposto visa complementar os estudos já feitos pelo candidato, por meio da análise das incertezas dos resultados obtidos pela técnica SOM, com diferentes combinações de variáveis de dados aerogeofísicos e de sensoriamento remoto na região. Essa análise é de fundamental importância para validação estatística das unidades aerogefísicas já identificadas, bem como das zonas de alteração hidrotermal associadas às mineralizações. A análise das incertezas utilizará os dados já processados em fases anteriores do projeto de pós-doutorado ao qual este sub-projeto está vinculado. Espera-se, com o desenvolvimento deste trabalho, quantificar as incertezas relacionadas às informações geológicas que subsidiem o avanço dos modelos de gênese e evolução da Província Aurífera do Tapajós, bem como a origem e a espacialização das mineralizações e suas respectivas associações com rochas encaixantes. Esse projeto faz parte do projeto de estudo da gênese e evolução do magmatismo Uatumã e da caracterização das mineralizações de ouro associadas, em desenvolvimento pela equipe do supervisor. (AU)