Busca avançada
Ano de início
Entree

Saúde mental e economia solidária: um estudo com famílias de catadores de materiais recicláveis

Processo: 12/24388-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2013
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2014
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Pesquisador responsável:Maria Lúcia Teixeira Machado
Beneficiário:Letícia Dal Picolo Dal Secco de Oliveira
Instituição-sede: Centro de Educação e Ciências Humanas (CECH). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Família   Saúde mental   Economia solidária   Ciência   Tecnologia social

Resumo

Pensando no desenvolvimento social do Brasil durante o século XX em relação à economia, é possível associar a esse contexto o processo histórico da marginalização da massa proletária e da precarização das relações de trabalho. Esse quadro, produzido pelas formas de produção capitalistas, levou ao aumento do índice de desemprego, devido à inserção das máquinas no campo de trabalho e à falta de especialização dos indivíduos para o mercado, e à migração dos trabalhadores para o setor informal da economia. Esse processo de exclusão afasta esta população do acesso aos sistemas de garantia de direitos, levando à criação de meios de vivências que influenciam as relações sociais, estando entre elas, as formas de relacionamento familiar e sendo um de seus aspectos, o impacto na saúde mental dos membros familiares. Pautando-se na área de pesquisa Ciência, Tecnologia e Sociedade, norteada pela produção de tecnologias que consideram as necessidades do ambiente, do indivíduo e da sociedade, visando um desenvolvimento integrado, este trabalho tem como objetivo, pelo método investigativo história de vida, colher relatos sobre a vida do grupo familiar de catadores de uma cooperativa popular solidária localizada na cidade de São Carlos-SP, a COOPERVIDA, buscando observar as relações familiares desses, antes e após a inserção em um empreendimento popular solidário. Espera-se como resultado da análise do material coletado, considerando referenciais teóricos da psicologia sócio-histórica, do campo CTS, de economia solidária, de tecnologia social e de literaturas de saúde mental, ter indicativos sobre as influências das relações de trabalho sob os valores da economia solidária na saúde mental dos catadores e de seus familiares.