Busca avançada
Ano de início
Entree

Padrões de acumulação e mercados de trabalho nas regiões norte e sul da América Latina: contraste entre os anos 1990 e 2000

Processo: 13/00070-9
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 15 de abril de 2013
Vigência (Término): 28 de maio de 2013
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Economia - Economia dos Recursos Humanos
Pesquisador responsável:Maria Cristina Cacciamali
Beneficiário:Maria Cristina Cacciamali
Anfitrião: Gerardo Angeles-Castro
Instituição-sede: Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Instituto Politécnico Nacional (IPN), México  
Assunto(s):Economia do trabalho   Mercado de trabalho   América Latina

Resumo

Os anos 1990 caracterizaram-se nos países latino americanos pela reorientação do modelo econômico e pelas reformas estruturais realizadas pelos governos para pô-lo em prática, o que implicou desorganização do mercado de trabalho e desestruturação da sociedade salarial naqueles países. O padrão de inserção no comércio mundial foi distinto entre os países do norte e do sul da região. A maior parte dos governos do sul seguiu um modelo primário exportador, com maior intervenção do Estado com o objetivo de dinamizar o mercado interno, promover a distribuição da renda das famílias e diminuir as taxas de pobreza. Enquanto os países do norte, liderados pelo México, se orientaram por um modelo secundário exportador de baixos salários, incentivado pelo aprofundamento dos laços comerciais com o norte do continente americano - Canadá e Estados Unidos. O crescimento econômico e a geração de empregos formais mostraram resultados superiores nos anos 1990 na região norte, apesar de produziram baixos aumentos salariais naquele período. Na década seguinte os países latinoamericanos dessa região não mantiveram o dinamismo econômico, sobretudo pela desaceleração e crise da economia norte americana, o que implicou perda de velocidade na geração de empregos, diminuição de salários, aumento da emigração e redução dos índices de pobreza e indigência. Os países latinoamericanos do sul ao contrário potencializaram os benefícios do crescimento das exportações de commodities por meio de um conjunto de políticas integradas de caráter distributivo, o que levou à reversão da baixa geração de empregos do setor formal, característica da década anterior, e conduziu à inflexão da tendência tradicional de concentração de renda familiar da região.Este plano de trabalho tem como propósito verificar, sob forma comparativa, na região latinoamericana, três pontos: i) em que magnitude ocorreu essa reestruturação da sociedade salarial no sul da região, que se traduziu em menor desemprego, maior assalariamento, maior formalização e maior rendimento do trabalho; quais as perspectivas de sua continuidade? ii) em que magnitude ocorreu o decréscimo de empregos, sua qualidade e bem estar econômico na região norte? Quais as perspectivas para sua reversão e persistência? iii) quais fatores políticos, econômicos, sociais e laborais podem ser apontados como determinantes, nos principais países das duas regiões, por isso? (AU)