Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo de alterações na expressão gênica de núcleos hipotalâmicos e bulbares de SHR em envelhecimento submetidos a treinamento aeróbio e sua correlação com o controle neural da circulação

Processo: 12/22368-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2013
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Vagner Roberto Antunes
Beneficiário:Laís Oliveira Dellacqua
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Fatores de risco para doença cardiovascular   Envelhecimento   Sedentarismo   Hipertensão   Treinamento aeróbio   Sistema nervoso autônomo   Modelos animais

Resumo

A hipertensão arterial (HA) é caracterizada pela elevação crônica dos níveis de pressão sanguínea. Existem várias evidências de que a elevação da pressão arterial é iniciada e mantida por alterações na bioquímica neuronal de núcleos que controlam o sistema nervoso autônomo (SNA), dentre eles o núcleo do trato solitário (NTS), os bulbos rostroventrolateral (RVLM) e caudoventrolateral (CVLM), e hipotálamo, mais especificamente o núcleo paraventricular (PVN). A prática do exercício físico está relacionada a uma melhora do quadro hipertensivo, pois leva a uma diminuição tanto do tônus parassimpático bem como do simpático para os vasos e coração modulando a frequência e força de contração cardíaca e a resistência periférica total e, consequentemente acarretando redução da pressão arterial. Esta diminuição do tônus do SNA acontece em decorrência de alterações na neurotransmissão entre vias neuronais de núcleos hipotalâmicos e bulbares. A nossa hipótese é que a idade avançada e o sedentarismo possam ser dois fatores associados que contribuem para alterações na expressão gênica de determinados neurotransmissores que são essenciais na integração neuronal de núcleos que controlam o SNA e os níveis de pressão arterial. Desta forma, acreditamos que o treinamento físico aeróbio de baixa intensidade possa influenciar positivamente a expressão gênica e a neuroquímica de neurônios que controlam o SNA cardiovascular contribuindo para o melhoramento do quadro hipertensivo. Portanto, a finalidade deste estudo é avaliar os efeitos sequenciais do treinamento aeróbio e sedentarismo em animais hipertensos em envelhecimento na expressão gênica de neurotransmissores de núcleos do hipotálamo e do bulbo que controlam o sistema nervoso autônomo, bem como correlacionar a suas repercussões funcionais no sistema cardiovascular. Para isso, utilizaremos ratos SHR e WKY com 12-14 meses de idade, treinados por 8 semanas e sedentários e serão avaliados: hemodinâmica basal; sensibilidade do reflexo barorreceptor; o tônus simpático/vagal ao coração; a variabilidade da FC e da PA e seus componentes espectrais de alta e baixa frequência, indicativos, respectivamente, da variabilidade do tônus vagal ao coração e do tônus simpático ao coração e vasos; a expressão gênica (PCR em tempo real) e proteica (Western Blotting) de neurotransmissores/mediadores de núcleos de integração autonômica ao nível hipotalâmico (PVN) e bulbar (NTS e RVLM); as alterações na expressão gênica/proteica induzidas pelo treinamento aos ajustes funcionais do sistema cardiovascular.

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
DELLACQUA, Laís Oliveira. Benefícios cardiovasculares do treinamento físico aeróbio em ratos espontaneamente hipertensos em envelhecimento.. 2017. Tese de Doutorado - Universidade de São Paulo (USP). Instituto de Ciências Biomédicas São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.