Busca avançada
Ano de início
Entree

Relampejos do passado: inscrição da morte no espaço público através da exumação de corpos de desaparecidos políticos da ditadura militar brasileira

Processo: 13/01810-6
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Mestrado
Vigência (Início): 15 de março de 2013
Vigência (Término): 14 de julho de 2013
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Antropologia
Pesquisador responsável:John Cowart Dawsey
Beneficiário:Amanda Brandão Ribeiro
Supervisor no Exterior: María José Sarrabayrouse Oliveira
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Universidad de Buenos Aires (UBA), Argentina  
Vinculado à bolsa:12/01615-6 - Relampejos do passado: inscrição da morte no espaço público através da exumação de corpos de desaparecidos políticos da ditadura militar brasileira, BP.MS
Assunto(s):Morte   Narrativa   Memória coletiva   Ditadura

Resumo

O projeto aqui apresentado é uma proposta de estágio na Universidad de Buenos Aires (UBA) que visa dar prosseguimento a pesquisa que desenvolvo no mestrado pelo Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da Universidade de São Paulo. Nele busco pesquisar as formas de inscrição da morte no espaço público, por meio de etnografia e entrevistas, enfocando a descoberta de uma vala clandestina contendo restos mortais de desaparecidos políticos da época da Ditadura Militar brasileira (1964-1985) no cemitério Vila Formosa, na capital paulista, em 2010. O objetivo é compreender como a busca pelo esclarecimento das mortes e do reconhecimento dos corpos dos militantes se articula com a elaboração do luto dos familiares destes e com a consolidação da democracia no país, já que é através da ideia de "rito de passagem" que a averiguação dos atos repressivos levados a cabo no regime militar é interpretada por organizações civis ligadas a defesa dos direitos humanos, como a Comissão de Familiares dos Mortos e Desaparecidos Políticos e o Grupo Tortura Nunca Mais. Ou seja, para estes grupos, passar por essa averiguação é condição necessária para construção democrática brasileira. Com o intuito de aprofundar meu conhecimento acerca da última ditadura militar argentina e estabelecer uma análise comparativa entre os dois contextos no que tange o caso dos desaparecimentos forçados levados a cabo por estes governos, apresento aqui a proposta de estágio de pesquisa no exterior, sob orientação da Dra. María José Sarrabayrouse Oliveira, investigadora da Equipo de Antropología Política y Juridica da Faculdad de Filosofia y Letras (FFyL) da UBA. (AU)