Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise da expressão de NY-ESO-1 no melanoma cutâneo

Processo: 13/02907-3
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado Direto
Vigência (Início): 08 de abril de 2013
Vigência (Término): 07 de abril de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Cyro Festa Neto
Beneficiário:Mara Huffenbaecher Giavina-Bianchi
Supervisor no Exterior: Lyn Stuart McDivitt Duncan
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Massachusetts General Hospital, Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:12/19168-6 - Análise da expressão do NY-ESO-1 no melanoma cutâneo, BP.DD
Assunto(s):Dermatologia   Melanoma   Imuno-histoquímica   Sobrevida   Resposta imune

Resumo

O melanoma tem recebido considerável atenção e estudos, devido ao aumento nas taxas de incidência e no número de mortes decorrentes da doença em todo o mundo, especialmente em indivíduos de pele branca. Os antígenos câncer-testis (CT) caracterizam-se por terem baixa expressão em tecidos normais e expressão aberrante numa variedade de neoplasias. Estes antígenos são alvos potenciais de vacinas contra o câncer. O NY-ESO-1 é um dos antígenos CT que foi melhor caracterizado. Encontra-se expresso em cerca de 20-30% de todos os tumores de pulmão, esôfago, fígado, estômago, próstata, ovário, vesícula e melanoma. Objetivo: Correlacionar a expressão do antígeno câncer-testis NY-ESO-1 com aspectos clínicos e anatomopatológicos do melanoma cutâneo. Métodos: Estudo de coorte retrospectiva. Nós selecionaremos 90 pacientes de melanoma, que serão separados em 3 grupos: 1: melanomas finos (in situ ou com espessura < 1,1 mm); 2: intermediários (entre 1,1 e 4,0 mm); 3: grossos (> 4,0 mm). Os prontuários dos pacientes serão revisados, analisando-se os parâmetros clínico-patológicos. Os espécimes tumorais também serão revisados e, posteriormente, submetidos a exames imunohistoquímicos para pesquisa da expressão da proteína tumoral NY-ESO-1, de linfócitos CD4+ e CD8+, presença de TIA1, Granzyme B e PD-1 no infiltrado inflamatório tumoral. Analisaremos se há diferença estatística entre os grupos NY-ESO-1 positivo e negativo em relação ao gênero, raça, fototipo, idade, localização do tumor, lesão pré-existente, tipo histológico, Índice de Breslow, ulceração, linfonodo sentinela, desenvolvimento de metástases, taxa de sobrevida, presença de CD4+, CD8+, TIA1, Granzyme B.e PD-1 (AU)