Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise em uma e duas dimensões de precursores de tempestades geomagnéticas através de dados da Rede Global de Detectores de Muons

Processo: 13/03530-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2013
Vigência (Término): 31 de julho de 2014
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Geofísica
Pesquisador responsável:Ezequiel Echer
Beneficiário:Rafael Rodrigues Souza de Mendonça
Supervisor no Exterior: Kazuoki Munakata
Instituição-sede: Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (Brasil). São José dos Campos , SP, Brasil
Local de pesquisa : Shinshu University, Japão  
Vinculado à bolsa:12/20594-0 - Análise em uma e duas dimensões de precursores de tempestades geomagnéticas através de dados da Rede Gloabl de Detectores de Múons (GMDN), BP.DR
Assunto(s):Raios cósmicos   Geofísica espacial

Resumo

Os raios cósmicos são partículas eletricamente carregadas, na maioria prótons, de altas energias que incidem em nosso planeta vindo de todas as direções. Seu fluxo apresenta variações espaciais e temporais relacionados à fenômenos do clima espacial, ou seja, fenômenos solares, interplanetários e geomagnéticos, que podem direta ou indiretamente influenciar a performance e/ou a confiabilidade de sistemas tecnológicos dispostos no espaço e/ou na superfície terrestre. Sabe-se que a passagem sobre a Terra de estruturas interplanetárias, como as ICMEs (Interplanetary Coronal Mass Ejections), podem gerar tempestades geomagnéticas que estão relacionadas a uma parte significativa dos efeitos conhecidos do clima espacial. Desta forma, prever a ocorrência destas tempestades é de extrema importância para a manutenção, desenvolvimento e utilização de tecnologias espaciais. No final do século XX e começo do século XXI, iniciaram-se os estudos da previsão de tempestades geomagnéticas através da análise do fluxo de raios cósmicos incidentes na superfície terrestre. A presença de estruturas interplanetárias pode produzir variações espaciais típicas no fluxo de raios cósmicos que são observadas várias horas antes da chegada desta estrutura a Terra. Neste trabalho temos como objetivo principal a análise destas variações através dos dados da Rede Mundial de Detectores de Múons (GMDN - Global Muon Detector Network). Pretendemos aprimorar as metodologias adotadas em estudos anteriores, principalmente, através da correção dos dados pelo efeito da temperatura e pela realização da análise contínua, em períodos com e sem a ocorrência de tempestades geomagnéticas. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
BRAGA, CARLOS ROBERTO; DAL LAGO, ALISSON; ECHER, EZEQUIEL; STENBORG, GUILLERMO; SOUZA DE MENDONCA, RAFAEL RODRIGUES. Pseudo-automatic Determination of Coronal Mass Ejections' Kinematics in 3D. ASTROPHYSICAL JOURNAL, v. 842, n. 2 JUN 20 2017. Citações Web of Science: 2.
DE MENDONCA, R. R. S.; BRAGA, C. R.; ECHER, E.; DAL LAGO, A.; MUNAKATA, K.; KUWABARA, T.; KOZAI, M.; KATO, C.; ROCKENBACH, M.; SCHUCH, N. J.; AL JASSAR, H. K.; SHARMA, M. M.; TOKUMARU, M.; DULDIG, M. L.; HUMBLE, J. E.; EVENSON, P.; SABBAH, I. THE TEMPERATURE EFFECT IN SECONDARY COSMIC RAYS (MUONS) OBSERVED AT THE GROUND: ANALYSIS OF THE GLOBAL MUON DETECTOR NETWORK DATA. ASTROPHYSICAL JOURNAL, v. 830, n. 2 OCT 20 2016. Citações Web of Science: 3.
KOZAI, M.; MUNAKATA, K.; KATO, C.; KUWABARA, T.; ROCKENBACH, M.; DAL LAGO, A.; SCHUCH, N. J.; BRAGA, C. R.; MENDONCA, R. R. S.; AL JASSAR, H. K.; SHARMA, M. M.; DULDIG, M. L.; HUMBLE, J. E.; EVENSON, P.; SABBAH, I.; TOKUMARU, M. AVERAGE SPATIAL DISTRIBUTION OF COSMIC RAYS BEHIND THE INTERPLANETARY SHOCK-GLOBAL MUON DETECTOR NETWORK OBSERVATIONS. ASTROPHYSICAL JOURNAL, v. 825, n. 2 JUL 10 2016. Citações Web of Science: 3.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.