Busca avançada
Ano de início
Entree

"efeito anti-angiogênico de inibidores de galectina em modelos de neovascularização in vitro e in vivo"

Processo: 12/20975-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2013
Vigência (Término): 31 de agosto de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:Juliana Luporini Dreyfuss Regatieri
Beneficiário:Danielle Stoll
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Matriz extracelular   Galectinas   Angiogênese

Resumo

O estudo de novas moléculas com atividade anti-angiogênica é de fundamental importância para tratar doenças que envolvem a formação de novos vasos como a neovascularização de coróide secundária à degeneração macular relacionada à idade e o câncer. As galectinas pertencem a uma família de proteínas da classe das lectinas que reconhecem especificamente os beta-galactosídeos. As galectinas estão envolvidas em uma variedade de processos biológicos incluindo a diferenciação, adesão, proliferação celular e apoptose. Sabe-se que a angiogênese é regulada por fatores de crescimento como VEGF-A, EGF e TGF-± e seus receptores. Os receptores destes fatores de crescimento são receptores de superfície celular glicosilados e interagem diretamente com a galectina-3 mediando a angiogênese in vitro. Essa proteína ainda promove a reepitelização pela ativação do complexo de moléculas da matriz extracelular e integrinas, e a angiogênese mediada pela ligação com porção glicosilada da integrina ±v²3 e, a subsequente ativação das vias de sinalização que promovem o crescimento de novos vasos sanguíneos. O objetivo deste trabalho é investigar se o ligante de galectina-3, o beta-galactosídeo análogo de lactose D-galactopiranosil-b-D-tiogalactopiranosideo (TDG), que é conhecido por bloquear a ligação carboidrato-dependente das galectinas aos seus ligantes, é capaz de inibir a angiogênese in vitro e in vivo. Serão realizados ensaios de viabilidade, proliferação, adesão, migração e formação de estruturas do tipo capilar em Matrigel em células endoteliais antes e após o tratamento destas culturas com 0.01 mg/mL, 0.1 mg/mL ou 1 mg/mL de TDG. Após os ensaios in vitro, serão realizados experimentos in vivo da inibição da neovascularização de coróide induzida por laser em camundongos C57BL10. A indução da neovascularização de coróide será realizada pela fotocoagulação com laser de argônio, em seguida será realizada a injeção intravítrea de diferentes concentrações de TDG. A área de neovascularização será avaliada após duas semanas pela imunofluorescência em flatmount da coróide utilizando-se anticorpos anti-fator de Von Willebrand, que marca especificamente células endoteliais. Após os ensaios pretende-se determinar a eficácia e a dose do TDG na inibição de angiogênese, assim como propor novas terapias para tratamento da degeneração macular relacionada à idade, que hoje é a principal causa de cegueira em pessoas com mais de 60 anos em países desenvolvidos e em desenvolvimento.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.