Busca avançada
Ano de início
Entree

AVALIAÇÃO DE PARÂMETROS DE RESPOSTA IMUNE, MORFOMETRIA E IMUNOHISTOQUÍMICA INTESTINAL EM PINTAINHOS SUBMETIDOS A ESTRESSE TÉRMICO POR FRIO E INOCULADOS COM DOIS CLONES DE Salmonella Heidelberg GENETICAMENTE DISTINTOS QUANTO À VIRULÊNCIA.

Processo: 12/22718-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2013
Vigência (Término): 30 de junho de 2015
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Neuropsicofarmacologia
Pesquisador responsável:João Palermo Neto
Beneficiário:Anderlise Borsoi
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:09/51886-3 - Neuroimunomodulação: fármacos, estresse e citocinas nas relações entre os sistemas nervoso, endócrino e imune, AP.TEM
Assunto(s):Aves   Salmonella heidelberg   Estresse térmico   Neurociências   Imunidade

Resumo

De acordo com a Secretaria de Vigilância em Saúde, as salmonelas figuram, no Brasil, como principal agente etiológico de surtos alimentares notificados em humanos, no período de 2000 a 2011, principalmente em carne de frangos, ovos e produtos derivados. Particularizando as salmonelas paratíficas em humanos, a Salmonella Heidelberg parece causar doença mais severa que os outros sorovares. Quanto às aves, a identificação dos fatores que contribuem para a infecção por Salmonella tem o objetivo de diminuir a contaminação de carcaças e reduzir a morbilidade e a mortalidade dos animais. O estresse ambiental (calor, frio, amônia e umidade) tem sido apontado como fator que pode induzir a colonização de animais de produção por patógenos entéricos;, facilitar transmissão horizontal de patógenos e contribuir para contaminação de carcaças durante o abate e processamento. O estresse em aves, bem como em outros animais envolve uma cascata de respostas adaptativas fisiológicas. Quando há percepção de estresse pelo Sistema Nervoso Central há a ativação do eixo hipotalâmico-pituitário-adrenal (HPA) e do sistema nervoso autônomo simpática (SNAS), os quais tem influêcia sobre o sistema imune. O presente projeto propõe, na linha de pesquisa em neuroimunomodulação da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo, o estudo da interação de duas cepas de Salmonella Heidelberg (caracterizadas molecularmente para clone e genes de virulência) em pintainhos submetidos a condição de estresse por frio, buscando traçar o perfil da alteração de células imunes, órgãos linfoides, fígado, morfometria e imunohistoquímica intestinal e parâmetros sanguíneos relacionados ao estresse, frente ao desafio proposto.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
BORSOI, ANDERLISE; QUINTEIRO-FILHO, WANDERLEY MORENO; CALEFI, ATILIO SERSUN; PIANTINO FERREIRA, ANTONIO JOSE; ASTOLFI-FERREIRA, CLAUDETE SERRANO; FLORIO, JORGE CAMILO; PALERMO-NETO, JOAO. Effects of cold stress and Salmonella Heidelberg infection on bacterial load and immunity of chickens. AVIAN PATHOLOGY, v. 44, n. 6, p. 490-497, NOV 2 2015. Citações Web of Science: 7.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.