Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise filogenética e evolução das formas da cabeça de Amphisbaenia (Reptilia, Squamata)

Processo: 12/24755-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de abril de 2013
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Animal
Pesquisador responsável:Hussam El Dine Zaher
Beneficiário:Roberta Graboski Mendes
Instituição-sede: Museu de Zoologia (MZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:11/50206-9 - Origem e evolução das serpentes e a sua diversificação na região neotropical: uma abordagem multidisciplinar, AP.BTA.TEM
Bolsa(s) vinculada(s):16/06866-8 - Evolução da forma da cabeça em Amphisbaenia (Reptilia, Squamata) usando métodos de morfometria geométrica, BE.EP.DR
Assunto(s):Filogenia   Evolução animal   Amphisbaenia   Morfometria

Resumo

A ordem Squamata é composta por répteis (Serpentes, "Lagartos", Anfisbaenas e Mosassauros) que apresentam uma grande diversidade de espécies e de formas. Dentre os Squamata, a subordem Amphisbaenia é composta por organismos que apresentam diversas modificações morfológicas adaptadas para hábitos fossoriais. Atualmente, Amphisbaenia possui 182 espécies descritas que são divididas em seis famílias (Amphisbaenidae, Blanidae, Bipedidae, Cadeidae, Rhineuridae e Trogonophidae) que possuem ampla distribuição, ocorrendo na região Neotropical, África subsaariana, partes da região do Mediterrâneo, Baixa Califórnia e Flórida. Apesar do progresso do conhecimento acerca do grupo, o posicionamento filogenético de Amphisbaenia dentro de Squamata, bem como as relações entre as famílias e gêneros ainda permanecem incertos. Muitos trabalhos atribuem as dificuldades para compreensão da origem e evolução das Amphisbaenia à convergência de diversos caracteres morfológicos, como as diferentes formas da cabeça presentes neste grupo. Em geral, vertebrados que possuem hábitos subterrâneos são de difícil observação e obtenção, sendo que muitos aspectos de sua biologia evolutiva tornam-se mal compreendidos pela dificuldade de acesso aos organismos. Sendo assim, este projeto visa investigar e contribuir para preencher algumas destas lacunas sobre o conhecimento do grupo. Para isso, será analisada a diversidade molecular de 30 genes (nucleares e mitocondriais) de uma ampla amostragem de espécies de Amphisbaenia, para compreender as relações entre as famílias e gêneros. Também será empregada a técnica de "Next Generation Sequencing" para inferir o posicionamento filogenético de Amphisbaenia dentro de Squamata, bem como confirmar as relações filogenéticas das famílias e gêneros de uma representatividade menor de Amphisbaenia. Serão utilizados métodos filogenéticos de Máxima Parcimônia, Máxima Verossimilhança e Inferência Bayesiana. As estimativas de tempos de divergência entre as famílias de Amphisbaenia serão obtidas através do método de relógio molecular relaxado. Este projeto também visa categorizar e compreender a evolução das formas da cabeça dentro de Amphisbaenia, testando se essas formas possuem relação filogenética ou se são convergências morfológicas relacionadas à distribuição geográfica. Para isso serão utilizados marcos anatômicos (Landmarks) e técnicas de morfometria geométrica para quantificar e analisar as diferenças na forma de uma grande representatividade de espécies de Amphisbaenia. Para analisar correlação entre as formas da cabeça na filogenia será utilizado a análise de Phylogenetic generalizes least squares (PGLS) e para avaliar os diferentes complexos morfo-funcionais será utilizada análise de componentes principais dos dados métricos e geométricos. (AU)

Publicações científicas (4)
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
ZAHER, HUSSAM; MURPHY, ROBERT W.; ARREDONDO, JUAN CAMILO; GRABOSKI, ROBERTA; MACHADO-FILHO, PAULO ROBERTO; MAHLOW, KRISTIN; MONTINGELLIL, GIOVANNA G.; QUADROS, ANA BOTTALLO; ORLOV, NIKOLAI L.; WILKINSON, MARK; ZHANG, YA-PING; GRAZZIOTIN, FELIPE G. Large-scale molecular phylogeny, morphology, divergence-time estimation, and the fossil record of advanced caenophidian snakes (Squamata: Serpentes). PLoS One, v. 14, n. 5 MAY 10 2019. Citações Web of Science: 2.
COSTA, HENRIQUE C.; GRABOSKI, ROBERTA; ZAHER, HUSSAM. Amphisbaena mensae Catro-Mello, 2000 is a synonym of Amphisbaena talisiae Vanzolini, 1995 (Squamata: Amphisbaenia: Amphisbaenidae). Zootaxa, v. 4559, n. 1, p. 166-174, FEB 19 2019. Citações Web of Science: 0.
RIBEIRO, SIRIA; SA, VANIA; SANTOS-JR, ALFREDO P.; GRABOSKI, ROBERTA; ZAHER, HUSSAM; GUEDES, ANDREI G.; ANDRADE, SHEILA P.; VAZ-SILVA, WILIAN. A new species of the Amphisbaena (Squamata, Amphisbaenidae) from the Brazilian Cerrado with a key for the two-pored species. Zootaxa, v. 4550, n. 3, p. 301-320, JAN 25 2019. Citações Web of Science: 0.
ZAHER, HUSSAM; YANEZ-MUNOZ, MARIO H.; RODRIGUES, MIGUEL T.; GRABOSKI, ROBERTA; MACHADO, FABIO A.; ALTAMIRANO-BENAVIDES, MARCO; BONATTO, SANDRO L.; GRAZZIOTIN, FELIPE G. Origin and hidden diversity within the poorly known Galapagos snake radiation (Serpentes: Dipsadidae). SYSTEMATICS AND BIODIVERSITY, v. 16, n. 7, p. 614-642, 2018. Citações Web of Science: 4.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.