Busca avançada
Ano de início
Entree

Comparação entre dois métodos de descontaminação da superfície de implantes na re-osseointegração, após peri-implantite induzida por ligadura. Estudo radiográfico, histomorfométrico e microtomográfico computadorizado em cães.

Processo: 12/09772-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de abril de 2013
Vigência (Término): 31 de março de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Periodontia
Pesquisador responsável:Arthur Belem Novaes Junior
Beneficiário:Flávia Adelino Suaid Malheiros
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (FORP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Implantodontia   Regeneração óssea guiada   Peri-implantite

Resumo

O tratamento ideal da peri-implantite, além de remover o agente etiológico, deve reestabelecer à saúde peri-implantar, além da regeneração das estruturas perdidas e o alcance da re-osseointegração. Inúmeras estratégias têm sido propostas, mas nenhuma apresenta resultados expressivos na resolução das lesões. O presente estudo investigará a ocorrência da re-osseointegração em implantes tratados com o cloridrato de tetraciclina ou com a terapia fotodinâmica antimicrobiana associados com enxerto ósseo bovino no interior dos defeitos e membrana colágena. Adicionalmente, irá comparar as técnicas de microtomografia computadorizada e histomorfometria na análise da re-osseointegração ao redor dos implantes. Serão selecionados oito (8) cães, dos quais os pré-molares e molares mandibulares bilaterais serão extraídos previamente. Após 8 semanas, 5 implantes serão instalados em cada hemi-mandíbula e ligaduras duplas com fio de sutura seda 3-0 serão amarradas ao redor dos cicatrizadores para indução da peri-implantite durante 8 semanas. Após 16 semanas com peri-implantite, os seguintes tratamentos serão realizados nos implantes: somente a aplicação do cloridrato de tetraciclina (G1); a aplicação do cloridrato de tetraciclina e a associação com enxerto ósseo bovino e membrana colágena (G2); somente a aplicação da terapia fotodinâmica antimicrobiana (G3); a aplicação da terapia fotodinâmica antimicrobiana e a associação com enxerto ósseo bovino e membrana colágena (G4); associação do enxerto ósseo com a membrana colágena sem tratamento de superfície (G5). Após 12 semanas os cães serão sacrificados. A re-osseointegração e os demais parâmetros serão avaliados clinicamente, radiograficamente, histomorfometricamente e através da nova técnica de microtomografia computadorizada.