Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo sobre lealdade partidária no município de vinhedo: compreender as motivações políticas no ato de filiação e desfiliação (migração intrapartidária)

Processo: 13/00990-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2013
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Ciência Política - Comportamento Político
Pesquisador responsável:Bruno Wilhelm Speck
Beneficiário:Marcello Arturo Rigollet Penchiari
Instituição-sede: Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Filiação partidária

Resumo

O presente projeto consiste em analisar o comportamento e as motivações dos membros partidários, em relação ao ato de filiação a seus atuais partidos, e desfiliação, para a adesão (migração intrapartidária) ou não a outros. Serão aplicados questionários - escolha aleatória dos entrevistados - com os filiados dos partidos da zona eleitoral de Vinhedo, (25 partidos registrados, contabilizando 6.433 filiados no município) visando avaliar o histórico político de cada entrevistado. Espera-se resposta mínima de 50% de feedback em relação ao questionário preenchido (250 preenchimentos). Pretender-se-á avaliar a relevância das lealdades partidárias para as carreiras políticas de cada membro partidário entrevistado. As diferentes frequências nos trânsitos intrapartidários observados serão definidores à pesquisa, pois captarão tendências à sedimentação de lealdades organizacionais ou não. Tendo conhecimento da experiência e histórico político de cada membro filiado, poderemos compreender se as motivações e situações vigentes - 1. Filiação e permanência no partido de origem, 2. Intercâmbio partidário (migração para outro), 3. Membro filiado a um partido ou mais de um historicamente, pretendendo sair do universo político - estão embasadas sob cunho ideológico ou pragmático. Na argumentação teórica, seguiremos a linha de autores (MAINWARING; 2005), que apontam a volatilidade eleitoral como um indicador para reconhecer baixos ou altos índices de institucionalização de um sistema partidário sob um regime democrático. De forma paralela iremos alicerçar o índice de volatilidade eleitoral como sendo diretamente proporcional ao índice de volatilidade de migração filial, indicando que a oscilação da preferência partidária acompanha a mesma lógica da preferência eleitoral.