Busca avançada
Ano de início
Entree

Detecção de Escherichia coli enteropatogênica, enteroagregativa e produtora da Toxina de Shiga em amostras de carne moída, comercializadas na região de Botucatu, SP

Processo: 13/03460-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2013
Vigência (Término): 30 de abril de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia
Pesquisador responsável:Rodrigo Tavanelli Hernandes
Beneficiário:Noelle Amanda Betta Mariano
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Diarreia   Virulência   Escherichia coli   Microbiologia de alimentos

Resumo

A carne moída destaca-se, entre os produtos cárneos, pela sua boa aceitação comercial e por se caracterizar como produto popular utilizado em refeições de maneiras práticas e variadas, sendo que sua composição é complexa e oferece um meio ideal para a multiplicação microbiana. As bactérias presentes nos alimentos, além de favorecerem a deterioração e/ou redução da vida útil desses produtos, podem trazer riscos à saúde do consumidor. A diarreia infecciosa é considerada um dos grandes problemas de saúde pública mundial, sendo responsável por mais de dois milhões de mortes a cada ano, particularmente entre crianças abaixo de cinco anos de idade. Os agentes infecciosos bacterianos mais frequentemente isolados em surtos de diarreia são Escherichia coli, Shigella spp., Salmonella spp., Campylobacter jejuni e Vibrio cholera. O modo de transmissão da maioria desses patógenos, geralmente, ocorre pela via fecal-oral e a alta incidência de surtos diarreicos está diretamente associada a fatores sócio-ambientais, como a falta de saneamento básico, condições sanitárias precárias, além da contaminação de água e a higienização inadequada dos alimentos. As E. coli associadas às infecções intestinais, tanto em crianças como em adultos, são conhecidas como E. coli diarreiogênicas (DEC) e são classificadas em seis patotipos distintos, considerando os seus mecanismos de virulências específicos, as síndromes clínicas que causam, os sorotipos (O:H), os aspectos epidemiológicos e o tipo de interação com linhagens celulares cultivadas in vitro. Os patotipos de E. coli diarreiogênicas são: E. coli enteropatogênica (EPEC), E. coli enterotoxigênica (ETEC), E. coli enteroinvasora (EIEC), E. coli enteroagregativa (EAEC), E. coli enterohemorrágica (EHEC) e E. coli que adere difusamente às células epiteliais (DAEC). O objetivo do presente estudo é avaliar a prevalência de EPEC, EAEC e EHEC/STEC em amostras de carne moída comercializadas na região de Botucatu, bem como caracterizar os isolados patogênicos, quanto ao seu potencial de interagir com células epiteliais in vitro.