Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito do estresse crônico sobre o conteúdo de glicogênio e a expressão de glut4 no coração de ratos

Processo: 13/05190-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2013
Vigência (Término): 30 de abril de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia Geral
Pesquisador responsável:Fernanda Klein Marcondes
Beneficiário:Talita Fernandes de Almeida Ferreira
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Piracicaba , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:10/51904-9 - Sistema renina angiotensina e calicreina cininas na hipertensão, obesidade, diabetes, desnutrição e sepses: mecanismos moleculares, celulares e fisiopatológicos, AP.TEM
Assunto(s):Fisiologia cardiovascular   Glicogênio   Estresse crônico   Sistema cardiovascular

Resumo

O estresse crônico é um dos mais significativos problemas de saúde na sociedade moderna e um dos principais causadores de alterações e de doenças cardiometabólicas, como a hiperglicemia, resistência à insulina, dislipidemias e até mesmo o diabetes. Sabe-se que em casos de diabetes, ocorrem alterações na utilização dos substratos energéticos de todos os tecidos (em decorrência da ação deficiente da insulina), o que reduz a utilização de glicose, dificulta a ação de transportadores específicos de glicose 4 (GLUT 4) no tecido muscular esquelético e cardíaco e aumenta a disponibilidade de ácidos graxos. Além disso, a mudança da utilização do substrato energético cardíaco causa aumento na reserva de glicogênio intracelular (que pode ocorrer por meio do aumento da síntese de glicogênio ou diminuição da glicogenólise ou ainda, uma combinação de ambos os processos). O aumento da liberação de ácidos graxos pelos adipócitos e pelo fígado resulta em elevada circulação de ácidos graxos e triglicerídeos, sendo este, o maior fator envolvido na elevada oxidação e captação de ácidos graxos nos cardiomiócitos. Em situações nas quais a disponibilidade de ácidos graxos excede a capacidade oxidativa celular, ocorre acúmulo de triglicerídeos intracelular, o que está associado à lipotoxicidade cardíaca. Apesar destes mecanismos estarem bem estabelecidos em situações de hiperglicemia crônica, diabetes e/ou com tratamento de glicocorticoides, ainda não está estabelecido se estas alterações também acontecem em tecido cardíaco de animais estressados cronicamente. Sabe-se que em situações estressoras também há um redirecionamento dos substratos energéticos e, acredita-se que em resposta ao estresse, o aumento demasiado de glicocorticoides (e consequentemente, da glicemia) prejudica a ação da insulina e, assim, a ação de transportadores GLUT 4 em cardiomiócitos. Além de prejudicarem a ação da insulina e dos transportadores GLUT 4, o aumento de glicocorticoides em resposta ao estresse favorece a ativação da gliconeogênese, aumentando o metabolismo lipolítico e a liberação de ácidos graxos. Sendo assim, o objetivo deste estudo será avaliar o efeito do estresse crônico moderado e imprevisível sobre o conteúdo de glicogênio e a expressão de GLUT4 no coração de ratos.