Busca avançada
Ano de início
Entree

Envolvimento do inflamassomo na imunidade inata e adaptativa em gestantes portadoras de pré-eclâmpsia

Processo: 13/00534-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de maio de 2013
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Aplicada
Pesquisador responsável:Maria Terezinha Serrão Peraçoli
Beneficiário:Mariana Romão Veiga
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Monócitos   Linfócitos T   Pré-eclâmpsia

Resumo

A pré-eclampsia (PE) é uma patologia obstétrica que incide entre 3% e 8% das gestações e é uma das principais causas de morbidade e mortalidade tanto materna como fetal. A literatura sugere que a PE se caracteriza por má adaptação da tolerância imunológica, identificado por estresse oxidativo e ativação anormal do sistema imune inato e adaptativo. No plasma de gestantes portadoras de PE níveis elevados de estruturas moleculares associadas ao estresse e morte celular, denominados padrões moleculares associados ao dano (DAMPs) como, proteína de choque térmico (Hsp70), HMGB1, Hialuronan (HA) e Ácido Úrico, parecem contribuir diretamente com a patogênese dessa doença. Essas DAMPs se ligam a receptores toll-like (TLR) e Nod-like (NLR), presentes em células da imunidade inata, podendo ativar um complexo intracelular denominado inflamassomo, uma estrutura multi-protéica, importante para o processamento e liberação de interleucina-1 (IL-1b) e IL-18. Essas citocinas são potentes mediadores inflamatórios e importantes na ativação da resposta imune adaptativa, sendo responsáveis pela diferenciação de células T em Th17 e Th1, respectivamente. Na PE, a ocorrência de resposta inflamatória sistêmica parece decorrer da deficiência no controle de células T efetoras por células T reguladoras (Treg). Portanto, o balanço entre células Treg e Th17 pode ser crítico para a tolerância ao feto e para a prevenção da doença. O presente projeto tem por objetivos: a) Determinar a concentração das DAMPs (Hsp70, HMGB1, Hialuronan e Ácido Úrico) no plasma de gestantes portadoras de pré-eclâmpsia; b) Avaliar o estado de ativação, endógena e induzida pelas DAMPs (Hsp70, hialuronan e urato monossódico), em monócitos dessas pacientes, pela identificação da presença de inflamassomo NLRP3 e sua associação com a produção de IL-1b, fator de necrose tumoral-alfa (TNF-a) e IL-18 nessas células; c) Avaliar o envolvimento das subpopulações de células T (Th1, Th2, Treg e Th17) pela análise do perfil de citocinas e fatores de transcrição produzidos por essas subpopulações celulares; d) Correlacionar a ativação do inflamassomo com o perfil das subpopulações de células T. Serão estudadas 40 gestantes, sendo 20 portadoras de pré-eclâmpsia e 20 normotensas, pareadas pela idade gestacional e 20 mulheres saudáveis não grávidas. O sangue coletado dessas pacientes será centrifugado e o plasma separado e armazenado à -80°C para dosagem das DAMPs(Hsp70, HMGB1, hialuronan e ácido úrico). Monócitos de sangue periférico serão incubados a 37oC, em atmosfera constante de 5% de CO2, na presença ou ausência das DAMPs(Hsp70, hialuronan e urato monossódico). O sobrenadante obtido após 18h de cultivo será aspirado e empregado para dosagem das citocinas TNF-a, IL-1b e IL-18 pela técnica de ELISA. A expressão de HMGB1 em monócitos será avaliada por imunocitoquímica. A presença de inflamassomo nessas células será avaliada pela quantificação de RNAm codificante de NLRP3, caspase-1, IL-1b, IL-18 e TNF-a por PCR em tempo real com transcrição reversa(RT-qPCR), logo após a coleta do sangue (expressão endógena) ou após ativação in vitro com as DAMPs(expressão estimulada). Para estudo das subpopulações de células T, células mononucleares do sangue periférico(PBMC) serão avaliadas quanto à produção de citocinas pró e anti-inflamatórias e à expressão de fatores de transcrição envolvidos na ativação dessas células. Para determinação das citocinas, as células serão cultivadas na ausência ou presença de DAMPs(Hsp70, hialuronan e urato monossódico). O sobrenadante obtido após 24h e 48h de cultivo será empregado para determinação das citocinas de perfil Th1(IFN-³ e TNF-±), Th2(IL-4), Treg(IL-10 e TGF-²1) e Th17(IL-17 e IL-22) pela técnica de ELISA. A expressão dos fatores de transcrição intra-citoplasmáticos para células T-bet(Th1), GATA3(Th2), RORc(Th17) e Foxp3(Treg) será avaliada por citometria de fluxo, empregando-se anticorpos monoclonais específicos, logo após a coleta do sangue (expressão endógena).

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
ROMAO-VEIGA, MARIANA; MATIAS, MARIANA LETICIA; RIBEIRO, VANESSA ROCHA; NUNES, PRISCILA REZECK; BORGES, VERA THEREZINHA M.; PERACOLI, JOSE CARLOS; PERACOLI, MARIA TEREZINHA S. Induction of systemic inflammation by hyaluronan and hsp70 in women with pre-eclampsia. CYTOKINE, v. 105, p. 23-31, MAY 2018. Citações Web of Science: 3.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.