Busca avançada
Ano de início
Entree

Correlação entre jatos e as morfologias complexas de nebulosas planetárias

Processo: 12/23616-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2013
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Astronomia - Astrofísica do Meio Interestelar
Pesquisador responsável:Diego Antonio Falceta Gonçalves
Beneficiário:Gislaine Banchetti Cordeiro
Instituição-sede: Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Hidrodinâmica   Simulação numérica   Vento estelar   Nebulosas planetárias

Resumo

Nebulosas planetárias apresentam-se como nuvens de gás e poeira resultantes das fases terminais de estrelas de massas baixas e intermediárias. A despeito do senso comum, a morfologia destes objetos não é dominantemente esférica. Na realidade, a maioria das estruturas é observada como bipolares ou elípticas, isto é, possuem um eixo preferencial de expansão. Também, nos últimos 20 anos, observações com alta resolução espacial têm revelado que as nebulosas planetárias apresentam estruturas em escalas menores, semelhantes à knots e jatos bipolares e colimados, visíveis principalmente em linhas atômicas de baixa energia de ionização. Ejeções assimétricas do vento estelar na fase pós-AGB, sistemas binários, e campos magnéticos, têm sido invocados teoricamente como os principais mecanismos responsáveis pelas estruturas observadas. Infelizmente, a comunidade ainda não determinou quais processos são dominantes. A dificuldade em se reproduzir as observações se deve a incapacidade dos modelos hidrodinâmicos atuais em reconstruir mapas observáveis consistentes. Uma nova proposta, referente à ejeção de jatos colimados pela estrela anã branca central na fase pós-AGB, pode ajudar a solucionar o mistério da origem das morfologias assimétricas. Neste trabalho propomos estudar o papel de jatos na origem das morfologias complexas a partir uma série de simulações hidrodinâmicas de nebulosas planetárias em expansão, considerando diversos cenários.