Busca avançada
Ano de início
Entree

Isolamento e caracterização de células progenitoras endoteliais circulantes e de medula óssea de ratos submetidos à restrição de nutrientes in útero: avaliação do impacto do treinamento físico aeróbio e do balanço redox

Processo: 13/00311-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de maio de 2013
Vigência (Término): 30 de junho de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Pesquisador responsável:Maria Do Carmo Pinho Franco
Beneficiário:Vanessa Aparecida de Oliveira
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Estresse oxidativo   Fisiologia   Desenvolvimento fetal

Resumo

Estudos clínicos e experimentais têm demonstrando consistentemente que o baixo peso ao nascer pode contribuir para o desenvolvimento tardio de doenças cardiovasculares. Embora os fatores envolvidos neste efeito ainda não se encontrem totalmente elucidados, alterações como complacência vascular reduzida, vasculogênese incompleta caracterizada por rarefação microvascular e alteração da capacidade moduladora da célula endotelial, características observadas em decorrência do baixo peso ao nascimento, podem contribuir diretamente para o desenvolvimento e/ou manutenção tanto da hipertensão arterial como de doenças cardiovasculares. Recentemente, evidenciou-se que o baixo peso ao nascimento pode promove adaptações negativas nas propriedades funcionais das células progenitoras endoteliais (CPEs). Diante do exposto, e considerando que essas células participam do processo de manutenção e integridade vascular, hipotetizamos que as alterações maléficas na CPEs induzidas pela programação fetal podem ser um dos mecanismos envolvidos no desenvolvimento tardio de doenças. Por outro lado, o efeito benéfico do treinamento físico aeróbio nas propriedades da CPEs vem sendo reportado em diversas condições patológicas e em inúmeros modelos experimentais. Entretanto, até o presente momento pouco se conhece a respeito dos efeitos benéficos do treinamento físico aeróbio em modelos de programação fetal, principalmente em relação as CPEs. Portanto, na tentativa de elucidar essa importante questão, levantamos a hipótese de que o treinamento físico aeróbio é capaz de revertes as ações deletérias da programação fetal, e que as CPEs poderiam ser um dos elos entre a programação fetal e o desenvolvimento tardio de doenças cardiovasculares. Com base nessas considerações, o presente projeto irá avaliar as possíveis adaptações benéficas induzidas pelo treinamento físico aeróbio nas características das CPEs, bem como no processo angiogênico da musculatura esquelética na prole adulta de ratos machos submetidos à programação fetal pela desnutrição intrauterina.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
OLIVEIRA, V.; DE SOUZA, L. V.; FERNANDES, T.; JUNIOR, S. D. S.; DE CARVALHO, M. H. C.; AKAMINE, E. H.; MICHELINI, L. C.; DE OLIVEIRA, E. M.; FRANCO, M. D. C. Intrauterine growth restriction-induced deleterious adaptations in endothelial progenitor cells: possible mechanism to impair endothelial function. JOURNAL OF DEVELOPMENTAL ORIGINS OF HEALTH AND DISEASE, v. 8, n. 6, p. 665-673, DEC 2017. Citações Web of Science: 2.
OLIVEIRA, V.; SILVA JUNIOR, S. D.; DE CARVALHO, M. H. C.; AKAMINE, E. H.; MICHELINI, L. C.; FRANCO, M. C. Intrauterine growth restriction increases circulating mitochondrial DNA and Toll-like receptor 9 expression in adult offspring: could aerobic training counteract these adaptations?. JOURNAL OF DEVELOPMENTAL ORIGINS OF HEALTH AND DISEASE, v. 8, n. 2, p. 236-243, APR 2017. Citações Web of Science: 1.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.