Busca avançada
Ano de início
Entree

Clonagem e expressão da fosfolipase A2-CB do veneno da serpente Caudisona durissa terrificus e avaliação da sua atividade antidengue e antifebre amarela

Processo: 12/12605-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de maio de 2013
Vigência (Término): 30 de junho de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Pesquisador responsável:Victor Hugo Aquino Quintana
Beneficiário:Raquel Rinaldi Russo
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Dengue   Febre amarela   Fosfolipases A2   Antivirais   Venenos de serpentes

Resumo

O vírus da dengue (DENV) e o da febre amarela (YFV) pertencem ao gênero Flavivirus, família Flaviviridae, e representam importantes arbovírus causadores de doença em humanos. Embora exista uma vacina contra o YFV, ainda são notificados muitos casos de febre amarela nas regiões endêmicas das Américas e, principalmente, da África. Não existem agentes terapêuticos para tratamento da infecção contra nenhum desses vírus. Portanto, estudos para identificação de fármacos para combaterem a dengue e a febre amarela são de suma importância. Nosso grupo descreveu recentemente a ação antiviral da fosfolipase A2 crotoxina B (PLA2-CB) da serpente Caudisona durissa terrificus, a qual tem ação nas fases iniciais do ciclo de replicação do YFV e do DENV. Este projeto tem como objetivo clonar e expressar as duas isoformas da PLA2-CB e avaliar a sua atividade anti-DENV e anti-YFV. As sequências que codificam as isoformas da PLA2-CB serão inseridas em um vetor plasmidial de expressão que será utilizado para transformar células E. coli competentes, as quais serão induzidas a expressar as proteínas recombinantes. Após confirmação e purificação, as isoformas recombinantes da PLA2-CB serão utilizadas em ensaios antivirais. A ação antiviral das PLA2s será avaliada in vitro pela técnica de placas de lise (inibição da replicação viral). A atividade antiviral será medida pelo cálculo do índice de seletividade (IS), que é a razão entre os valores da concentração citotóxica a 50% da monocamada celular (CC50) e a concentração que inibe 50% da infecção viral (CE50). A fim de identificar quais os sítios da molécula da PLA2-CB estão diretamente envolvidos na sua atividade antiviral, mutagêneses sítio-dirigidas serão realizadas. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
RUSSO, RAQUEL RINALDI; DOS SANTOS JUNIOR, NILTON NASCIMENTO; OLIVEIRA CINTRA, ADELIA CRISTINA; MORAES FIGUEIREDO, LUIZ TADEU; SAMPAIO, SUELY VILELA; AQUINO, VICTOR HUGO. Expression, purification and virucidal activity of two recombinant isoforms of phospholipase A(2) from Crotalus durissus terrificus venom. ARCHIVES OF VIROLOGY, v. 164, n. 4, p. 1159-1171, APR 2019. Citações Web of Science: 2.
Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
RUSSO, Raquel Rinaldi. Produção e atividade antiviral das isoformas da fosfolipase A2 crotoxina B recombinante. 2017. Tese de Doutorado - Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto Ribeirão Preto.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.

Patente(s) depositada(s) como resultado deste projeto de pesquisa

Solicitação em análise e dentro do prazo legal de sigilo previsto na legislação BR1020170216276 - Universidade de São Paulo (USP) . Solicitação em análise e dentro do prazo legal de sigilo previsto na legislação - 09 de outubro de 2017