Busca avançada
Ano de início
Entree

Matriz extracelular no envelhecimento e suas adaptações ao treinamento de força no tendão calcâneo de ratos: abordagem molecular, celular e biomecânica

Processo: 13/06048-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de maio de 2013
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia do Esforço
Pesquisador responsável:Heloisa Sobreiro Selistre de Araújo
Beneficiário:Patty Karina dos Santos
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:11/11229-3 - Matriz extracelular no envelhecimento e suas adaptações ao treinamento de força no tendão calcâneo de ratos: abordagem molecular, celular e biomecânica, AP.R
Assunto(s):Envelhecimento   Exercício físico   Expressão gênica

Resumo

O declínio gradual dos sistemas orgânicos durante o envelhecimento promove alterações na integridade estrutural e funcional da matriz extracelular (MEC). Essas mudanças decorrentes da idade podem predispor lesões tendíneas, cuja prevalência tem aumentado demasiadamente nos últimos anos e se tornado um problema clínico comum. Porém, a base biológica e molecular para esse efeito ainda é pouco compreendida. A identificação desses mecanismos propiciará importante contribuição para a compreensão da biologia básica dos tendões no processo do envelhecimento biológico. O treinamento físico minimiza as perdas inerentes ao sistema músculo-esquelético em pessoas idosas. Assim as hipóteses desse trabalho são: a) as propriedades de MEC se alteram com o envelhecimento como: o aumento do conteúdo de colágeno com menor organização fibrilar, diminuição do número de células e proteoglicanos, redução da atividade de MMPs, diferenciação alterada para células da camada peritendínea indicando aumento de adipócitos e maior conteúdo de cálcio; modificações que podem prejudicar a função tendínea e b) o treinamento de força poderá minimizar essas alterações da MEC no processo de envelhecimento, favorecendo seu remodelamento e a função tendínea. Assim, os objetivos deste estudo são: avaliar os efeitos do envelhecimento, bem como o efeito do treinamento de força sobre as propriedades da MEC junto aos componentes celulares do tendão calcâneo de ratos jovens e senis envolvendo e possíveis implicações no processo de reparo, regeneração e função tendínea. Para isso será avaliado: as propriedades morfológicas dos tendões; o conteúdo de glicosaminoglicanos e proteoglicanos; o conteúdo de colágeno e sua a agregação e intensidade entre as células do tecido; a atividade de proteases (MMPs) e os principais genes que compõem as vias de sinalização do remodelamento tecidual. (AU)