Busca avançada
Ano de início
Entree

A cartografia náutica de João Teixeira Albernaz I: influências e particularidades

Processo: 13/07362-5
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2013
Vigência (Término): 31 de julho de 2013
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Geografia - Geografia Humana
Pesquisador responsável:Jose Gilberto de Souza
Beneficiário:Raquel Fulino de Souza
Supervisor no Exterior: Francisco Roque de Oliveira
Instituição-sede: Instituto de Geociências e Ciências Exatas (IGCE). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro , SP, Brasil
Local de pesquisa : Universidade de Lisboa, Portugal  
Vinculado à bolsa:12/17628-0 - O silêncio cartográfico de João Teixeira Albernaz I nas representações da costa brasileira, BP.IC
Assunto(s):Geocartografia   Mapeamento geográfico   Brasil

Resumo

Este projeto advém das inúmeras perspectivas que despontam ao relacioná-lo à atual pesquisa de iniciação científica FAPESP/ processo nº 2012/17628-0, intitulada "O silêncio cartográfico de João Teixeira Albernaz I nas representações da costa brasileira", especificamente aos pressupostos centrais deste trabalho em percurso. Ao levantar a produção cartográfica de João Teixeira mediada pela sistematização de elementos biográficos e fontes histórico-cartográficas, objetiva-se reconstruir as principais influências que alicerçaram suas obras, bem como reconhecer e identificar suas particularidades, de modo a permitir a continuidade segura da pesquisa de iniciação científica, minimizando seus pontos obscuros e lacunares. Lisboa dispõe de importantes acervos histórico-culturais, reunidos em diversas instituições, as quais concentram fontes e cartotecas raras que garantirão os subsídios necessários ao tema. Do mesmo modo, o Centro de Estudos Geográficos da Universidade de Lisboa concentra um núcleo de pesquisa em História da Cartografia, capaz de supervisionar e aprimorar questões metodológicas que pairam em torno da Cartografia Histórica. Espera-se, por fim, fomentar novas investidas e interpretações no campo da Cartografia Histórica luso-brasileira, uma área de estudo ainda timidamente dedicada no quadro atual dos cursos de Geografia das universidades paulistas. (AU)