Busca avançada
Ano de início
Entree

Evolução do pós-crânio e variações intra e interespecíficas em Plerodiromorpha (Chelonii)

Processo: 13/07807-7
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Mestrado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2013
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia - Paleozoologia
Pesquisador responsável:Max Cardoso Langer
Beneficiário:Gabriel de Souza Ferreira
Supervisor no Exterior: Juliana Sterli
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Local de pesquisa : Museo Paleontológico Egidio Feruglio (MEF), Argentina  
Vinculado à bolsa:12/11604-1 - Evolução e filogenia de Pleurodira (Testudines) com a descrição de uma nova espécie de Bairdemys (Podocnemidae) do Mioceno médio da Venezuela, BP.MS
Assunto(s):Vertebrados   Evolução biológica   Paleontologia   Pleurodira

Resumo

Novos táxons de pleuródiros tem sido descritos com base em materiais pós-cranianos em estado fragmentário ou pouco completos. Ao mesmo tempo, baseando-se em uma hipótese não verificada de que o pós-crânio (principalmente o casco) destes quelônios seria muito homoplásico, a maioria das análises filogenéticas do grupo dão maior prioridade a caracteres cranianos. A incoerência entre estas duas práticas reflete uma falta de conhecimento acerca dos ossos pós-cranianos de quelônios, em especial da linhagem Pleurodira. O projeto de mestrado no país ao qual este projeto de estágio de pesquisa no exterior está vinculado objetiva investigar estes aspectos. A partir do estudo da osteologia de espécimes de pleuródiros viventes pretende-se identificar e diferenciar variações intra e interespecíficas. Com isso, o estudo será dividido em duas frentes: a primeira objetiva revisar espécies fósseis problemáticas, conhecidas apenas pelo pós-crânio; e a segunda com o intuito de gerar mais caracteres pós-cranianos, uni-los em uma supermatriz a caracteres cranianos propostos por outros autores e empregá-los em uma análise filogenética. O estágio com duração de seis meses será supervisionado pela Dra. Juliana Sterli e terá como base física o "Museo Paleontológico Egidio Feruglio", em Trelew, Argentina. Esta experiência será importante para o projeto, tanto por permitir acesso às coleções argentinas com fósseis de quelônios (de grande importância a este trabalho) quanto pelo contato com uma das mais importantes pesquisadores da área. Além disso, contribuirá também para a formação acadêmica do proponente, que entrará em contato com a rotina de trabalho em um dos mais importantes museus paleontológicos do mundo, assim como o aprendizado de técnicas de preparação de fósseis e análise de dados, que serão trazidas ao Brasil ao final do estágio. (AU)