Busca avançada
Ano de início
Entree

Violência no namoro: avaliação de um programa de prevenção

Processo: 13/01611-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de junho de 2013
Vigência (Término): 31 de março de 2017
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia Cognitiva
Pesquisador responsável:Lúcia Cavalcanti de Albuquerque Williams
Beneficiário:Sidnei Rinaldo Priolo Filho
Instituição-sede: Centro de Educação e Ciências Humanas (CECH). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Violência   Casais   Adolescentes

Resumo

A violência no namoro é um problema de Saúde Pública recorrente em diversos países. Os principais programas de intervenção encontram-se nos Estados Unidos e Canadá, enquanto no Brasil possuímos apenas dois levantamentos e uma pesquisa qualitativa sobre o tema. A prevenção da violência no namoro na adolescência reduz diversos problemas de relacionamento ao longo da vida. Dessa forma, o objetivo deste estudo consiste em desenvolver e avaliar um programa de intervenção de prevenção de violência no namoro com adolescentes em situação escolar, de tal forma que tal programa seja capaz de diminuir a prevalência de violência física e psicológica que os participantes afirmam praticar e sofrer em suas relações de namoro. O total de participantes da pesquisa será de cem, distribuídos em duas salas de aula, uma como grupo controle e outra como grupo experimental. Para tanto, serão utilizados os instrumentos CTS-2, AUDIT e Inventário de Resolução de Problemas Sociais ao início e término da pesquisa, bem como após o período de um ano no follow-up. Todos os instrumentos estão validados para a população adolescente brasileira. Serão realizadas intervenções semanais de noventa minutos de duração durante quatro meses. As intervenções abordaram temas relativos a crenças a respeito da violência doméstica e no namoro, papéis de gênero e modificação de comportamentos através de resolução de problemas. Ao final da intervenção com o grupo experimental o grupo controle também receberá a intervenção. Os dados relativos a todos os instrumentos serão analisados e comparados para ambos os grupos. É esperada uma diminuição dos comportamentos agressivos e um aumento das habilidades de resoluções de problemas de forma não agressiva após a intervenção sistemática. (AU)