Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da Densidade Mineral Óssea em Mulheres na Pós-menopausa Tratadas de Câncer de Mama

Processo: 13/02671-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2013
Vigência (Término): 31 de maio de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Saúde Materno-infantil
Pesquisador responsável:Eliana Aguiar Petri Nahás
Beneficiário:Michelle Sako Omodei
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Menopausa   Ginecologia   Neoplasias mamárias   Densidade óssea

Resumo

O câncer de mama é o segundo tipo de câncer mais freqüente no mundo e de maior prevalência entre as mulheres. Longo tempo de seguimento é recomendado após o diagnóstico e tratamento do câncer de mama; e com o envelhecer o risco de co-morbidades aumenta. Estratégias atuais anticancer têm contribuído para o aumento na sobrevida de pacientes oncológicos e em alguns casos o câncer torna-se uma "doença crônica". Estudos indicam que as pacientes sobreviventes de câncer mama são de elevado risco para doença cardiovascular, diabetes e osteoporose e diabetes; reconhecidamente uma população vulnerável. A osteoporose acomete mais de 200 milhões de pessoas no mundo, sendo mais prevalente em mulheres caucasianas. Nos primeiros anos pós-menopausa, em reposta ao hipoestrogenismo, ocorre rápida perda de massa óssea. O declínio na densidade mineral óssea (DMO) e na integridade estrutural resulta em aumento do risco para osteoporose em mulheres. A principal conseqüência clínica da osteoporose é a fratura, que ocorre principalmente em colo de fêmur, vértebra e punho. Observa-se prevalência cinco vezes maior de fraturas vertebrais em sobreviventes de câncer de mama quando comparadas as mulheres de mesma faixa etária; as fraturas de quadril ou vertebrais associam-se a aumento de 20% na taxa de mortalidade. Reconhecendo o risco para redução da DMO e as consequencias na qualidade de vida é imperativo um programa de promoção da saúde óssea para as mulheres tratada de cancer de mama. O objetivo geral do estudo será avaliar a DMO em mulheres na pós-menopausa tratada de câncer de mama atendidas pelo Centro de Avaliação em Mastologia da Faculdade de Medicina de Botucatu (FMB) - UNESP. E os objetivos específicos: 1- Estudar a ocorrência de baixa densidade mineral óssea em mulheres na pós-menopausa tratadas de câncer de mama; 2- Conhecer os fatores de risco mais influentes para baixa densidade mineral óssea em mulheres na pós-menopausa tratadas de câncer de mama comparadas aquelas sem câncer de mama. Métodos: Trata-se de estudo clínico, analítico, transversal e comparativo. Serão incluídas no grupo de estudo mulheres com: (1) data da última menstruação há pelo menos 12 meses e idade acima de 45 anos; (2) diagnóstico histológico de câncer de mama; (3) ter completado tratamentos cirúrgico, radioterápico, hormonioterápico e quimioterápico (quando indicado); (4) estar livre de doença há pelo menos cinco anos; (5) não etilista e não drogaditas. O grupo controle, na proporção de 1:2 controles, será constituído de mulheres com data da última menstruação há pelo menos 12 meses e idade acima de 45 anos, sem câncer de mama, pareadas pela idade. Serão coletados, por meio de entrevista, dados clínicos referentes ao risco para baixa DMO, antropometria e DEXA, além de dados sobre o câncer de mama. Espera-se que os resultados possam auxiliar no conhecimento sobre o padrão da DMO nesse grupo especial de pacientes e identificar as mulheres de alto risco para fratura osteoporótica auxiliando na melhoria do seguimento e na conduta na prática clínica, repercutindo consideravelmente na qualidade de vida das mulheres na pós-menopausa tratadas de câncer de mama.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
PRISCILA FERREIRA POLONI; MICHELLE SAKO OMODEI; JORGE NAHAS-NETO; GILBERTO UEMURA; HELOISA DE LUCA VÉSPOLI; ELIANA AGUIAR PETRI NAHAS. Prevalência da baixa densidade mineral óssea em mulheres na pós-menopausa tratadas de câncer de mama. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, v. 37, n. 1, p. 30-35, Jan. 2015.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.