Busca avançada
Ano de início
Entree

Turnover do carbono-13 nas penas de frangos de corte em diferentes fases de crescimento pela técnica dos isótopos estáveis

Processo: 13/02715-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2013
Vigência (Término): 30 de novembro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Nutrição e Alimentação Animal
Pesquisador responsável:Vanessa Cristina Pelícia
Beneficiário:Peterson Dante Gavasso Pacheco
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Nutrição animal   Alimentação animal   Isótopos estáveis   Frangos de corte   Espectrometria de massas

Resumo

A técnica dos isótopos estáveis, utilizados como traçadores para avaliar o desenvolvimento e a velocidade de regeneração de tecidos dos animais, também tem sido empregada como instrumento metodológico auxiliar, para estimar a exigência tecidual de frangos por aminoácidos. Além disso, apresenta amplo potencial para a prática da rastreabilidade de ingredientes de origem animal na alimentação de frangos através da análise de seus tecidos. Entretanto, para o desenvolvimento dessas linhas de pesquisa, são necessários mais estudos que contribuam para um amplo conhecimento da assimilação isotópica da matéria orgânica nos tecidos e fase de crescimento das aves. Para a rastreabilidade de ingredientes de origem animal na alimentação de frangos de corte em qualquer fase de criação, o estudo de tecidos, que possam ser coletados sem o sacrifício da ave, é de extrema importância. Assim considerando, propõe-se esta pesquisa cujo objetivo é determinar o turnover do carbono nas penas de frangos em diferentes fases de crescimento, utilizando-se a variação natural do carbono-13 existente entre as plantas de ciclo fotossintético distinto (C3 e C4). Para o seu desenvolvimento, foram utilizados 500 pintos de corte de 1 dia de idade, distribuídos em 6 grupos. Estas aves, ao nascerem, possuíam, em seus tecidos, sinais isotópicos de carbono-13 semelhantes ao da dieta C4, consumida pelas matrizes. Para avaliar a taxa de turnover nos tecidos, a aves foram submetidas a dietas exclusivamente vegetais, compostas predominantemente por plantas do ciclo C3, iniciando-se em diferentes fases de crescimento. O grupo 1 recebeu dieta C3 desde o início do experimento, enquanto os demais permaneceram recebendo dietas C4. O grupo 2 teve sua dieta substituída pela dieta C3 no 7º dia de vida, o grupo 3, no 14º dia, o grupo 4, no 21º dia, o grupo 5, no 28º e o grupo 6, no 35º dia de idade. Foram coletadas, em vários dias consecutivos, amostras de penas das asas das aves que tiveram suas dietas previamente substituídas, tendo em vista a determinação das razões isotópicas de carbono em espectrômetro de massa. Para mensurar a velocidade de substituição do carbono, depois de determinado intervalo de tempo (turnover), será empregada função exponencial de tempo, obtida por meio do método de equações exponenciais de primeira ordem do software Minitab® 16.(AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)