Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliar a prevalência das encefalites não sazonais por arbovírus na Cidade de São Paulo

Processo: 13/03188-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2013
Vigência (Término): 30 de abril de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:Ester Cerdeira Sabino
Beneficiário:Tamiris Zulato Tozetto
Instituição-sede: Instituto de Medicina Tropical de São Paulo (IMT). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Alphavirus   Retroviridae   Arbovirus   Flavivirus   Enterovirus

Resumo

Arboviroses são zoonoses (doenças primárias de animais que podem ser transmissíveis ao homem, ou primárias do homem que podem ser transmissíveis aos animais) causadas por vírus das famílias Togaviridae, Flaviviridae, Bunyaviridae, Reoviridae e Rhabdoviridae. São mantidas por complexos ciclos naturais envolvendo vetores artrópodes hematófagos; mais frequentemente mosquitos e carrapatos. Depois de infectados, esses vetores transmitem os microrganismos ao picar outros animais. O ciclo será completado quando um novo artrópode se infectar ao se alimentar com o sangue de um animal em viremia. No Brasil, o risco de aparecimento de novas arboviroses também está relacionado com o fato de que o país possui grandes centros urbanos com alta densidade populacional, infestados por mosquitos dos gêneros Culex e Aedes, os quais, além de serem vetores de arbovírus, são altamente antropofílicos. Em nosso país, a maioria dos arbovírus causadores de doenças em humanos pertencem às famílias Togaviridae (gênero Alphavirus) e Flaviviridae, (gênero Flavivírus). As manifestações clínicas das doenças causas por estes arbovírus variam desde um quadro viral comum até quadros graves de encefalite. As encefalites virais que têm um arbovírus como agente etiológico são predominantemente os casos de aparecimento em áreas rurais ou de surtos epidêmicos. O diagnóstico clínico diferencial das arboviroses é muito difícil, principalmente na fase aguda da infecção quando os sintomas das doenças virais em geral são muito similares. O diagnóstico da arbovirose é feito por isolamento do vírus ou por testes sorológicos. Resultados sorológicos falso-negativos nos primeiros dias da doença e reação cruzada dos anticorpos com antígenos de outros vírus pertencentes ao mesmo gênero, são comuns. Para resolver tais problemas ao diagnóstico, ensaios baseados na reação em cadeia da polimerase (PCR) usando primers espécie-específicos têm sido descritos para alguns vírus dos gêneros Alphavirus e Flavivirus. Sendo o objetivo principal deste estudo é avaliar a prevalência de encefalite viral esporádica (não sazonal) decorrente de infecção por arbovírus das famílias Togaviridae , Flaviviridae e Picornaviridae, em pacientes da cidade de São Paulo.