Busca avançada
Ano de início
Entree

A produção do edifício da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo na Cidade Universitária Armando Salles de Oliveira (1961-1969)

Processo: 13/03331-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de maio de 2013
Vigência (Término): 31 de março de 2015
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Arquitetura e Urbanismo - Fundamentos de Arquitetura e Urbanismo
Pesquisador responsável:Renato Luiz Sobral Anelli
Beneficiário:Felipe de Araujo Contier
Instituição-sede: Instituto de Arquitetura e Urbanismo de São Carlos (IAU). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):História da arquitetura   Arquitetura moderna

Resumo

Esta pesquisa visa analisar a história da produção do edifício da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (1961-1969), projetado pelo arquiteto João Batista Vilanova Artigas (1915-1985), não como um edifício isolado, mas como nó articulador de importantes séries narrativas da arquitetura brasileira: o chamado "brutalismo paulista" e seu papel na reconfiguração profissional da arquitetura no Brasil; a obra de Vilanova Artigas em suas dimensões teórica e prática; a construção da Cidade Universitária Armando Sales de Oliveira e seu vínculo com o projeto nacional desenvolvimentista através do Plano de Ação do Governo do Estado (1959-1963); o programa pedagógico da FAUUSP no debate sobre o ensino de arquitetura que tomou as décadas de 1950 e 1960; entre outras. A partir da produção da obra, entendida como processo complexo, singular e sintético de aspectos técnicos, econômicos e culturais, busca-se explicar as circunstâncias em que foram tomadas as escolhas que determinaram sua concepção, construção e legado; circunstâncias materiais, porém permeadas por hábitos visuais, motivações ideológicas, estruturas institucionais e recompensas simbólicas. O procedimento proposto se baseia em ampla pesquisa de documentos originais, depoimentos, registros fotográficos e bibliográficos, privilegiando, no processo produtivo, os vínculos entre a estética da obra, a economia da construção e as relações entre os agentes. A pesquisa pretende ainda refletir sobre limites e validades das circunstâncias encontradas na obra estudada como índice histórico das mudanças pelas quais passou arquitetura brasileira na década de 1960 como um todo, contribuindo, dessa forma, tanto para a inovação metodológica em história da arquitetura quanto para o entendimento histórico do período estudado. (AU)