Busca avançada
Ano de início
Entree

Atividade antioxidante de um composto fenólico lipofilizado e microencapsulado adicionado a uma emulsão contendo ácidos graxos ômega 3 e fitosteróis

Processo: 13/04063-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2013
Vigência (Término): 30 de abril de 2014
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Ciência de Alimentos
Pesquisador responsável:Inar Alves de Castro
Beneficiário:Raquel Rainho Espinosa
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Lipofilização   Antioxidantes   Lipídeos   Ácidos graxos ômega-3   Fitosteróis   Compostos bioativos   Vida-de-prateleira   Microencapsulação

Resumo

Ácidos graxos Omega 3 e fitosteróis podem ser combinados na formulação de emulsões alimentícias funcionais visando a redução dos triacilgliceróis e colesterol respectivamente, promovendo assim a redução de risco para doenças cardiovasculares. Entretanto, esses dois compostos bioativos são altamente susceptíveis à oxidação no processo de incorporação nos alimentos e durante o shelf-life, mesmo quando mantidos sob baixas temperaturas. Os produtos formados pela oxidação dos ácidos graxos Omega 3 e dos fitosteróis, além de anularem seus efeitos funcionais benéficos, podem ser tóxicos para animais e humanos. Uma estratégia para superar essa limitação consiste na adição de compostos com ação antioxidante, que irão oxidar em lugar dos compostos bioativos. Esses antioxidantes podem ser naturais ou artificiais, sendo os artificiais mais efetivos porém potencialmente mutagênicos, dependendo da dosagem consumida. Neste estudo, duas tecnologias serão avaliadas com objetivo de melhorar a eficiência antioxidante de um composto fenólico natural: lipofilização e microencapsulação. Uma emulsão óleo em água (1%) contendo ácidos graxos Omega 3 de origem vegetal (óleo de Echium) e fitosteróis será preparada sem antioxidantes, e contendo o composto fenólico em três formas: puro, microencapsulado e lipofilizado. A estabilidade oxidativa da emulsão será monitorada através de marcadores químicos para produtos primários e secundários da oxidação lipídica. O melhor tratamento será então aplicado no preparo de uma emulsão láctea contendo ácidos graxos Omega 3 e fitosteróis. Os mesmos marcadores químicos serão utilizados para avaliar a estabilidade oxidativa da emulsão láctea funcional, adicionados da análise sensorial das amostras. (AU)