Busca avançada
Ano de início
Entree

Lesões precursoras do câncer oral e da orofaringe

Processo: 13/04048-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de junho de 2013
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Pesquisador responsável:Silvia Regina Rogatto
Beneficiário:Vanessa Simão de Almeida
Instituição-sede: A C Camargo Cancer Center. Fundação Antonio Prudente (FAP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Técnicas de diagnóstico molecular   Leucoplasia   Orofaringe   Carcinoma   MicroRNAs

Resumo

Dados da literatura revelam que uma parcela dos casos de carcinomas de células escamosas de cavidade oral (CCEO) pode se desenvolver a partir de lesões displásicas denominadas de leucoplasias e eritroplasias. São poucos estudados o comportamento biológico destas lesões precursoras e a identificação daquelas com potencial para sofrerem transformação maligna. A proporção de leucoplasias que se desenvolve para CCE depende do tempo de seguimento clínico, mas é estimada uma taxa de transformação de 1-2% ao ano. Os fatores de risco para a progressão do CCEO envolvem tamanho da lesão e o grau da displasia. Além disso, as leucoplasias recorrem apesar da sua remoção ou o câncer pode se desenvolver fora da lesão visível. Não há descrição de tratamentos eficazes que possam prevenir o aparecimento dos CCE. Os problemas com a graduação histológica, o tratamento não eficaz das leucoplasias e o número limitado de estudos nessa área são justificativas para a utilização de estudos moleculares que permitam a identificação de biomarcadores de avaliação do risco para progressão e para contribuir para a identificação de alvos moleculares para tratamento. microRNAs (miRNAs) são moléculas de RNAs endoógenos pequenos e não codificadores que regulam negativamente a expressão em nível pós-transcricional e ou traducional. Há um grande número de evidências sugerindo que a perda da regulação do miRNAs não somente resulta na progressão do câncer como também pode dirigir a iniciação tumoral. Um estudo prévio do grupo usando análise de expressão gênica global em 30 amostras de leucoplasias (3 positivas para o vírus do papiloma humano) revelou um conjunto de genes diferencialmente expressos, com um subconjunto deles já relatado em carcinomas orais. Neste projeto serão avaliados 20 destas mesmas amostras pareadas de leucoplasias e tecido contralateral normal do mesmo paciente para a expressão global de microRNAs (Agilent Human miRNA Microarray), e posterior integração com os dados de expressão gênica. Os candidatos a marcadores serão validados por expressão de transcritos específicos e seus miRNAs candidatos a reguladores com o objetivo de identificar marcadores de iniciação tumoral.